O Enigma Chinês

Ficha técnica


Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 2 votos

Vote aqui


País


Sinopse

Com quase 40 anos, Xavier ainda parece não ter se encontrado. Com a ex-mulher embarcando para Nova York, o homem se muda para os Estados Unidos para ficar mais perto dos filhos. E na crise pessoal encontra nova inspiração para seus livros.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

16/06/2014

Desde que iniciou esta trilogia em 2002, com Albergue Espanhol, o escritor e diretor Cédric Klapisch manteve uma narrativa colorida, globalizada, bem construída e muito apoiada no carisma de seu elenco, que o acompanhou em Bonecas Russas (2005) e, agora, em O Enigma Chinês.
 
Uma cinessérie humorada e romântica, que girou em torno dos mesmos personagens, dos vinte e poucos aos quarenta anos, e a complexa entrada na vida realmente adulta. Da indulgência com que tratou a juventude na Espanha, Klapisch passou para temas mais maduros, sem deixar que o drama superasse a comédia.

A turma é liderada por Xavier (Romain Duris), seu constante protagonista. Depois de deixar a economia e se dedicar à literatura, hoje ele é um escritor com certa projeção na França. Recém-separado de Wendy (Kelly Reilly), com quem teve dois filhos, passa por um bloqueio criativo na hora de entregar seu novo livro ao editor (Dominique Besnehard)  

Quando sua ex-mulher anuncia que vai morar em Nova York com as crianças, onde já tem um noivo, Xavier decide que vai mudar-se para lá também, ajudado pela amiga Isabelle (Cécile De France). Com pouco dinheiro, acaba indo morar em Chinatown e trabalha ilegalmente como mensageiro.

As brigas com Wendy, seu casamento de fachada com uma chinesa para conseguir o green card, a turbulenta vida em Nova York e a visita de sua paixão da juventude, Martine (Audrey Tautou), trazem de volta o escritor Xavier. Nas constantes conversas com o editor, passa a fazer de sua vida (que considera um fracasso), sua obra.

Há uma certa liberdade poética ingênua nas desventuras de Xavier, motivada pelo humor com que Klapisch leva sua história. Mas o objetivo é realmente divertir, como nas conversas do protagonista com os filósofos alemães Hegel e Schopenhauer.

Na união do quarteto líder (Xavier, Wendy, Isabelle e Martine) em um jantar, o diretor fecha o ciclo desses personagens, com a visão positiva que lhe foi própria durante toda a trilogia. Se o livro de Xavier é sobre como a vida é complicada, os filmes de Klapisch mostram que se trata apenas de projetar possibilidades, sem se amargurar com fracassos pontuais, tudo isso embalado por uma excelente trilha sonora.   
    
 

Rodrigo Zavala


Trailer


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança