Scooby-Doo

Ficha técnica

  • Nome: Scooby-Doo
  • Nome Original: Scooby-Doo
  • Cor filmagem: Colorida
  • Origem: EUA
  • Ano de produção: 2002
  • Gênero: Aventura
  • Duração: 87 min
  • Classificação: Livre
  • Direção:
  • Elenco:

Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 2 votos

Vote aqui


País


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

07/03/2003

Para quem adora a famosa série de desenho animado, lançada pela Hanna-Barbera em 1969, há pelo menos duas garantias nesta sua versão em filme: o melhor de tudo é o cachorro e as vozes dos dubladores são as mesmas da televisão (e são dubladas 200 de um total de 250 cópias deste lançamento nacional).

Fora isso, poucos consolos restam - isto se o espectador for mesmo um fã de carteirinha das aventuras de Fred, Daphne, Velma, Salsicha e, claro, Scooby-Doo. A versão filmada é pouco mais do que um pastiche do desenho, que tem seu melhor trunfo no cão digitalmente produzido - o que, por si só, já depõe contra os humanos ao seu redor. Nada pessoal contra os atores. O principal escorregão no filme está em nunca decidir se o público-alvo da história está nos adolescentes ou nas crianças e criar piadas que ficam no meio-termo para os dois, correndo o risco de desagradar a todas as partes, por algumas serem infantis demais para os primeiros e outras, incompreensíveis para os outros.

Ok, ninguém esperava mesmo aqui um filme para intelectuais. E antes que alguém lance a piadinha clássica de que intelectuais nunca se divertem, é bom lembrar que não há mesmo muitos produtos sofisticados entre as comédias à disposição. Quase sempre, como aqui, prefere-se apostar na preguiça do público para consumir algo um pouquinho mais elaborado.

Assim, tem-se o vaidosão Fred (Freddie Prinze Jr. com cabelo tingido de louro, uma piada em si mesma), a peruazinha Daphne (Sarah Michelle Gellar), a espertinha Velma (Linda Cardellini) e o estabanado Salsicha (Matthew Lillard), ao lado de um Scooby-Doo de última geração, às voltas com mais uma história de falsos fantasmas para desvendar. Desta vez, a sede do fenômeno é uma certa Ilha do Espanto, onde um milionário, Emile Mondavarious (Rowan Atkinson, o conhecido Mr. Bean, aqui bem apagadinho) convocou a turma para decifrar uma série de estranhos acontecimentos que estão arruinando seu parque temático. Monstros aparecem por todo lugar e os visitantes nunca partem do mesmo jeito que chegaram e sim estranhamente possuídos por uma força estranha.

As habituais correrias e situações de pastelão até que dá para agüentar - embora pareçam bem mais divertidas no desenho animado. Duro mesmo é uma longa cena que mostra um campeonato de gases entre Salsicha e Scooby-Doo. Aí, lembrando aquela velha pergunta - o que veio primeiro, o ovo ou a galinha? - dá para se questionar também: o que nasceu primeiro, o público preguiçoso que ri de qualquer coisa ou uma grande indústria cinematográfica que pouco se empenha em criar histórias melhores? Enfim, enquanto houver gosto para tudo, esse dilema vai continuar. Afinal, até meados de setembro de 2002, esta produção tinha faturado cerca de US$ 260 milhões em todo o mundo, sendo US$ 152 milhões só nos EUA. Enquanto der lucro, vem coisa pior por aí.

Cineweb-4/10/2002

Neusa Barbosa


Comente
Comentários:
  • 29/01/2011 - 12h28 - Por dayana eu ja a sistir e porque frede ta de cabelo preto
Deixe seu comentário:

Imagem de segurança