Sangue Ruim

Sangue Ruim

Ficha técnica


Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 1 votos

Vote aqui


País


Sinopse

Numa época em que as pessoas morrem por "fazer amor sem amor", bandidos tentam roubar um vírus que é o antídoto para essa doença.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

06/01/2014

Leos Carax já foi chamado de "o herdeiro de Godard", o que parece ser exagero já que Godard não deve legar esse título a ninguém – ele é peculiar demais para tanto. De qualquer forma, em seus 30 anos de carreira e 5 longas, Carax construiu uma obra sólida – goste-se ou não. Neste seu segundo filme, inédito até hoje em circuito brasileiro, Sangue Ruim, traz novamente Denis Lavant no papel principal, desta vez, cercado de Juliette Binoche, Julie Delpy e Michel Piccoli.
 
Lavant é um golpista que vive em Paris e é contatado por Marc (Piccoli) e Hans (Hans Meyer) para um roubo que poderá render milhões, envolvendo um vírus de uma grande empresa farmacêutica. O vírus é o antidoto para uma doença que está matando pessoas que "fazem amor sem amor".
 
Como em boa parte, senão toda a obra de Carax, trama é o que menos importa. Seu interesse é a construção de imagens poderosas que nem sempre são associadas a algum significado – uma vez que o fiapo de enredo que une a narrativa não caminha. Nesse sentido, a fotografia de Jean-Yves Escoffier é bonita e forte – e sua beleza só aumenta quando Binoche ou Delpy estão em cena.

Alysson Oliveira


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança