Anita e Garibaldi

Anita e Garibaldi

Ficha técnica


Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 0 votos

Vote aqui


País


Sinopse

A cidade de Laguna, em 1839, vive a turbulência de movimentos anti-império. Ali mora Ana Maria de Jesus Ribeiro, mulher casada que logo se apaixonará pelo guerreiro italiano Giuseppe Garibaldi. O enredo trata da juventude dos dois.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

04/12/2013

Desaparecida da mídia há dois anos, quando abandonou a TV Globo e o papel principal da novela Insensato Coração, a atriz Ana Paula Arósio ressurge no drama histórico Anita e Garibaldi.
 
Dirigido e roteirizado pelo italiano Alberto Rondalli, o filme teve produção turbulenta. Sua primeira parte foi filmada em 2005, houve interrupção da filmagem por problemas de orçamento e sua parte final foi filmada em 2010. As muitas incertezas da finalização e distribuição adiaram seu lançamento até aqui.
 
A maior parte do enredo passa-se entre 1839 e 1849, focando parte dos 13 anos que o guerreiro italiano Giuseppe Garibaldi (Gabriel Braga Nunes) passa entre Brasil, Uruguai e Argentina. Participa de movimentos federalistas e realiza sua formação para futuro herói da unificação italiana, em 1870.
 
É portanto um Garibaldi jovem o que o filme retrata, um líder impetuoso que se apaixona pela catarinense Ana (Ana Paula Arósio), moça casada e insatisfeita com a indiferença do marido Manuel (Eucir de Souza), cuja personalidade forte revela-se páreo para a dele.  
 
Com seus olhos escurecidos por lentes, Ana Paula tem poucas falas, o que não impede que se vislumbre, nos melhores momentos, a intérprete carismática que é.
 
Limitado por um roteiro estreito e pelo descuido de ser falado inteiramente em português, independente da nacionalidade dos personagens, ou do local onde a ação se passa (seja na Itália ou no Brasil), o elenco tem pouco a fazer e demonstra falta de unidade nas interpretações. Salvam-se por sua conta Paulo César Pereio, no papel do sogro de Ana, e Alexandre Rodrigues como Jacinto, braço direito de Garibaldi que evoca sua associação aos Lanceiros Negros, batalhão integrado por escravos fugidos no Brasil imperial. Não falta uma estranha ponta do deputado federal Doutor Rosinha (PT-PR) como o médico Nannini, que atende Anita agonizante, perto do final, num local que na ficção é na Itália - mas o longa foi filmado na cidade de São Francisco do Sul (SC). 
 
No importante papel do amigo de Garibaldi, o também italiano Luigi Rossetti, Antonio Buil Pueyo é dublado pelo ator brasileiro Paulo Betti, creditado também como um dos produtores.
 
A trilha sonora, de Arrigo Barnabé, inclui canção cantada por Thais Gulin. 

Neusa Barbosa


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança