Artigas - la redota

Artigas - la redota

Ficha técnica


Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 0 votos

Vote aqui


País


Sinopse

No século XIX, o gaúcho José Gervasio Artigas foi para o Uruguai, tornando-se um líder popular que liderou a independência daquele país da Espanha, em 1828. 34 anos após sua morte, o governo uruguaio encomenda um retrato dele a um pintor. Mas não restou uma imagem confiável nem informações seguras a respeito do heroi.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

26/11/2013

Diretor de fotografia de prestígio internacional, indicado ao Oscar por seu trabalho em Cidade de Deus, de Fernando Meirelles, além de cineasta respeitado por filmes como O Banheiro do Papa, o uruguaio radicado em São Paulo César Charlone abraça, em Artigas - La Redota, uma produção histórica que não se pretende didática, nem solene.
 
Vencedor do principal prêmio da mostra de filmes latinos de Gramado em 2012, Artigas - La Redota reconstitui a figura do gaúcho José Gervasio Artigas (1764-1850), que se tornou herói da independência uruguaia, em 1828.
Esquivando-se da rigidez dos filmes de época, o roteiro, do próprio Charlone e de Pablo Vierci, escolhe o caminho arriscado de delinear seu protagonista a partir das próprias lacunas de uma biografia controversa e misteriosa. Assim, parte do momento em que o governo uruguaio, em 1884, encomenda ao pintor Juan Manuel Blanes (Yamandú Cruz) um retrato do herói, morto 34 anos antes.
 
Não é uma missão fácil de aceitar. Afinal, desconhece-se a verdadeira imagem de Artigas (Jorge Esmoris). Uma das poucas pistas veio do esboço de um desenho, feito por Germán Larra (Franklin Rodrigues), espião espanhol que se infiltrou nos batalhões sob comando de Artigas, com a missão oculta de matá-lo.
 
A ação desloca-se entre estes dois tempos, o momento da confecção do retrato e a época em que se arma a guerra contra a Espanha. A figura do herói emerge humanizada, combinando um homem carismático, de discurso sedutor para as massas, dono de uma visão política aguda e também um conquistador inveterado, que registrou nada menos de 18 filhos naturais.
 
O enredo ronda a mística de um homem que, até hoje, empresta seu nome a ruas, praças e escolas uruguaias, e que foi um ardoroso defensor do federalismo nas ex-colônias espanholas. Seu legado foi tão consistente que, durante a ditadura uruguaia dos anos 70, foi disputado tanto à esquerda, quanto à direita.
 
Artigas - La Redota é parte do projeto Os Libertadores, reunindo filmes sobre heróis da independência latino-americana, produzido pela TVE espanhola, a Wanda Films e a Lusa Films.

Neusa Barbosa


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança