Os Excêntricos Tenenbaums

Ficha técnica

  • Nome: Os Excêntricos Tenenbaums
  • Nome Original: The Royal Tenenbaums
  • Cor filmagem: Colorida
  • Origem: EUA
  • Ano de produção: 2001
  • Gênero: Comédia
  • Duração: 103 min
  • Classificação: 14 anos
  • Direção: Wes Anderson
  • Elenco:

Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 2 votos

Vote aqui


País


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

05/03/2003

A comédia, cuja primeira encenação data do ano 5 a.C., teve origem nas festas dionisíacas, destinadas a celebrar a fertilidade da natureza. Ao longo dos anos, passou a ser utilizada como crítica à sociedade e ao comportamento através do ridículo. Aristóteles definiu o gênero como a imitação de pessoas de qualidade moral ou psíquica inferior, não em todo o tipo de vícios, senão daqueles que caem sob o domínio do risível.

Em prol da sátira, o texano Wes Anderson cercou-se de um elenco estelar, no qual orbitam Gene Hackman, Gwyneth Paltrow, Ben Stiller, Luke Wilson, Owen Wilson, Anjelica Huston, Danny Glover e, como narrador onisciente, Alec Baldwin, e deu forma a um zoológico de tipos humanos de moral duvidosa em Os Excêntricos Tenenbaums. Queridinho dos críticos americanos por Bottle Rocket (1996) e Três é Demais (1998), o diretor, no entanto, não obtém muito êxito quando o assunto é piada e consegue, no máximo, extrair alguns poucos sorrisos do espectador.

Porém, o curioso do filme provém das disfunções psicológicas exteriorizadas por meio de assuntos acres como câncer de estômago, a morte acidental de um beagle por um carro conduzido por um drogado, a amputação de um dedo e o incesto. Com as obras do nova-iorquino Todd Solondz (Felicidade e Histórias Proibidas), Os Excêntricos Tenenbaums compartilha a bizarrice, mas sem a acidez e tampouco a contundência de Solondz.

Figurinos extravagantes, personagens ainda mais esdrúxulos e uma estética interessante acabam perdendo a força por causa de um roteiro de pouca ousadia que, ainda assim, acabou indicado ao Oscar, ao lado de O Fabuloso Destino de Amélie Poulain, Assassinato em Gosford Park, Amnésia e A Última Ceia.

Quando crianças, os três filhos do casal Tenenbaum eram gênios em diferentes aspectos. Chas (Stiller), aos 9 anos, se dedicava com afinco às finanças; a adotada Margot (Paltrow) era escritora e Richie (Luke Wilson), campeão de tênis. A matriarca da família, a arqueóloga Etheline (Huston), se desdobrava para atender às necessidades dos filhos já que o marido, Royal (Gene Hackman), há tempos os havia abandonado. Depois de anos, Royal, quebrado e acometido por uma doença terminal, volta à mansão da família tentando reparar os erros do passado.

Sem projetar na tela grandes momentos, Os Excêntricos Tenenbaums provam a tese de Kant de que o riso é a paixão decorrente da transformação súbita de uma expectativa densa em nada. A fita fica devendo as gargalhadas, mas abençoa os ouvidos com uma excelente trilha sonora que inclui os clássicos Velvet Underground, Beatles, Rolling Stones, além do promissor Elliott Smith.

Cineweb-15/3/2002

Luara Oliveira


Comente
Comentários:
  • 19/04/2011 - 04h34 - Por Breno Eu ia comentar a sua resenha. Daí percebi que ela em si é uma sátira.Só pode.
Deixe seu comentário:

Imagem de segurança