Onze Homens e um Segredo

Ficha técnica

  • Nome: Onze Homens e um Segredo
  • Nome Original: Ocean´s Eleven
  • Cor filmagem: Colorida
  • Origem: EUA
  • Ano de produção: 2001
  • Gênero: Aventura
  • Duração: 116 min
  • Classificação: 12 anos
  • Direção: Steven Soderbergh
  • Elenco: George Clooney

Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 2 votos

Vote aqui


País


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

05/03/2003

George Clooney investe de novo no charme da figura de um ladrão de casaca que não envergonha o precursor Cary Grant - como já havia feito em Irresistível Atração (98), aliás, o primeiro movimento de volta ao topo do diretor Steven Soderbergh, dono do Oscar em 2001 por Traffic.

Este filme revela sem rodeios sua natureza de uma ação entre amigos. Clooney e Soderbergh, aliás, são sócios na produtora Section Eight, que gerou este suspense elegante, uma refilmagem do filme homônimo de 1960, de Lewis Milestone, que tinha Frank Sinatra, Dean Martin e Sammy Davis Jr. nos papéis principais.

Mesmo senhor de tantos recursos, como explorou em direções tão diferentes quanto Traffic, O Estranho e Erin Brockovich, Soderbergh repete com surpreendente timidez o espírito do filme original, ou seja, reúne um alto teor de sedução de vários calibres e nada mais faz do que cercá-los de uma apetitosa moldura - que se revela, afinal, um tantinho oca, porque desprovida de maiores ambições.

O enredo circula em torno de um golpe milionário e com toda cara de uma missão impossível. Um grupo de malandros sofisticados, liderados pelo presidiário recém-libertado Danny Ocean (Clooney), dispõe-se a arrancar US$ 150 milhões de um cofre cercado dos maiores recursos de segurança inventados pela tecnologia. O cofre em questão arrecada a gorda renda diária de três cassinos de Las Vegas, pertencentes ao mafiosíssimo Terry Benedict (Andy Garcia, com tiques de poderoso chefão que não caem bem ao seu jeito cubano).

Mais do que no dinheiro, Danny está interessado na maior jóia da coleção de Benedict: sua ex-mulher, Tess (Julia Roberts), que agora dirige um museu de arte de propriedade do gângster. Com um interesse destes em risco, não admira que a seleção de Danny Ocean escale os maiores craques do submundo, como o jogador de pôquer Rusty (Brad Pitt), o especialista em explosivos Basher Tarr (Don Cheadle) e o acrobata chinês Yen (Shaobo Qin).

Mesmo com tanto charme e testosterona na tela, roubam a cena dois veteranos de peso: Elliott Gould, na pele de um mafioso que deseja ver o concorrente Benedict de joelhos, e o também diretor Carl Reiner (Cliente Morto Não Paga), como Saul Bloom, o membro do bando que se faz passar por milionário.

Claro que a intervenção destes digníssimos veteranos é parte da receita bem-feitinha do diretor Soderbergh, que parece ter pretendido apenas entregar muito veneno, pouca história, um tantinho de adrenalina aqui e ali, menos tensão sexual do que se poderia esperar (quem sabe se o figurino e o penteado de Julia Roberts não trabalhassem tanto contra seu sex-appeal ...) e, afinal, a platéia ri um pouco e sai feliz. Um modelo de filme, enfim, que parece ter saído mais da cabeça de um marqueteiro do que de um cineasta com as credenciais de Steven Soderbergh - que, ninguém duvide, se lhe derem tempo, chegará aos calcanhares do outro Steven que está na sua frente no cinema americano, o Spielberg.

Cineweb-22-2-2002

Neusa Barbosa


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança