Babilônia 2000

Ficha técnica

  • Nome: Babilônia 2000
  • Nome Original: Babilônia 2000
  • Cor filmagem: Colorida
  • Origem: Brasil
  • Ano de produção: 2000
  • Gênero: Documentário
  • Duração: 80 min
  • Classificação: 12 anos
  • Direção: Eduardo Coutinho
  • Elenco:

Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 1 votos

Vote aqui


País


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

26/02/2003

O cineasta Eduardo Coutinho, o competente documentarista de Cabra Marcado para Morrer e Santo Forte, exercita o olhar atento de repórter em seu novo filme, Babilônia 2000, um emocionante e divertido passeio com cinco câmeras digitais por um morro carioca, na véspera do reveillon do ano 2000. As imagens são irrequietas, às vezes trêmulas, mas ajudam a revelar um retrato fiel da alma brasileira, num período particularmente duro vivido pelos habitantes das favelas, mas nem por isso desprovido de esperança em tempos melhores.

Coutinho e sua equipe subiram numa manhã chuvosa do dia 31 de dezembro de 1999 o morro da Babilônia, no Rio, onde estão encravadas duas grandes favelas que contemplam a cinematográfica orla de Copacabana - Chapéu Mangueira e Babilônia. Não há como não chamar a atenção dos moradores, mas a equipe é recebida de braços abertos, sem desconfianças, e consegue conviver algumas horas com pessoas desconhecidas e generosas.

Na medida em que vai encontrando os moradores pelas vielas tortuosas do morro, Coutinho puxa conversa. É conduzido para conhecer seus barracos e apresentado a outros habitantes. Dessas conversas, a vida de cada um começa a ser revelada. De comum, o drama que a maioria das famílias carrega, com um relato de violência na memória. Filhos e irmãos morreram em confrontos com criminosos, com policiais ou estavam perdidos no caminho de uma bala.

A primeira entrevistada é Fátima, uma divertida evangélica que pintou os cabelos para esperar a passagem do ano. Ela foi hippie na juventude e, leitora de Herman Hesse, batizou um filho com o nome de Sidarta. O jovem foi morto com um tiro.

Djanira é uma mineira idosa que relembra os tempos em que trabalhou como cozinheira e chegou a servir o então presidente Juscelino Kubitschek.

Jorge é um homem acostumado com a câmera. Quando tinha 13 anos interpretou o personagem Benedito no filme Orfeu Negro, de Marcel Camus. A equipe francesa de filmagem partiu rumo a um Oscar e Jorge continuou no morro, onde envelheceu e teve sete filhos, dos quais dois morreram assassinados.

Esses são apenas alguns dos personagens do Morro da Babilônia que contaram um pouco de sua história para as câmeras. São pobres, negros, desempregados e garantem que não trocariam o morro por nada. Mostram a paisagem que vêem da janela, lamentam os infortúnios mas acreditam que não seriam felizes longe dali.

Luiz Vita


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança