Os Muppets

Ficha técnica


Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 4 votos

Vote aqui


Locais de filmagem


Sinopse

Os Muppets estão de volta. Bem, mais ou menos. Separados há alguns anos, cada um seguiu seu caminho, mas agora precisam fazer uma apresentação juntos para arrecadar dinheiro e salvar o seu antigo teatro. Para isso, contam com a ajuda de um casal, e um novo amiguinho, também marionete, Walther.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

30/11/2011

Seja lá quem for que teve a brilhante ideia de ressuscitar os Muppets, merece todos os aplausos do mundo – especialmente porque o novo filme da trupe de bonecos é diversão do começo ao fim. E, a melhor notícia, não apenas para adultos.
 
Há um inegável senso de nostalgia no longa Os Muppets, dirigido por James Bobin – mas o resultado não é melancólico. Olha para o passado, mas não se esquece do presente e do futuro, ou seja, das crianças de hoje e da possibilidade de uma franquia que pode, novamente, durar anos. O filme circula em cópias dubladas e legendadas.
 
Quem via os Muppets décadas atrás na televisão e em alguns filmes vai reencontrar o humor ingênuo, que, por isso mesmo, é capaz de fazer rir. Os personagens criados por Jim Henson, aliás, são como crianças, com suas tiradas despidas de ironia ou cinismo. Combinado a isso está o despojamento deste longa, em que os personagens não apenas riem de si mesmos, mas também do filme. O único senão desta nova versão é que o sapo conhecido no Brasil como Caco agora  atende aqui também pelo nome original, Kermit. Pura bobagem globalizada e desnecessária.
 
O roteiro é assinado por Jason Segel (Professora sem classe), que também atua no filme, como irmão de Walter, que seria um Muppet mas, como vive com seu irmão humano, é uma figurinha meio perdida no limbo do existencialismo. Mas isso pouco importa, porque ele é o fã número 1 dos Muppets e fica bastante deprimido quando viaja com o irmão e a noiva deste, Mary (Amy Adams, que há muito não se via tão meiga e engraçada), para a Califórnia, onde pretende visitar o teatro e os estúdios de seus ídolos.
 
Quando se descobre que a trupe não existe mais, resolvem procurar o sapo e sugerir uma reunião. Isso vem a calhar, porque um barão do petróleo (malevolamente interpretado por Chris Cooper) quer derrubar o teatro, pois há algo de muito precioso em seu subsolo. Para salvar o palco onde foram famosos, os Muppets devem se unir e fazer um Teleton, para arrecadar dinheiro.
 
A história, claro, é bem simples, mas dessa simplicidade Bobin e companhia conseguem tirar algumas lições de vida – nada didaticamente chato ou panfletário como Happy Feet 2 – e muitas risadas.
 
O reencontro de alguns personagens é memorável. O urso piadista Fozzie trabalha num show de segunda, que imita os verdadeiros Muppets. Já Miss Piggy tem a posição que merece: é a editora da revista Vogue francesa. Isso, aliás, resulta num dos melhores momentos do filme: sua secretária é vivida por Emily Blunt, praticamente repetindo seu papel em O diabo veste Prada. O elenco também  inclui Jack Black, Zach Galifianakis, Selena Gomez e Whoopi Goldberg.
 
Longe dos efeitos digitais que entulham o cinema infantil, Os Muppets  é divertimento retrô que encontra diálogo com adultos e crianças – não necessariamente pelos mesmos motivos. A trilha sonora, diga-se de passagem, está longe do que se esperaria de um filme infantil, com versões para músicas de Paul Simon, Nirvana e Jefferson Starship – mas, e daí, os Muppets nunca foram convencionais mesmo.

Alysson Oliveira


Trailer


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança