Super 8

Ficha técnica


Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 10 votos

Vote aqui


País


Sinopse

Depois de um acidente entre um trem e um carro, um grupo de jovens começa a notar ocorrências estranhas em sua cidade do interior e acabam se deparando com coisas assustadoras.


Extras

Também em Blue-Ray


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

08/08/2011

A nostalgia percorre cada fotograma de Super 8, a nova aventura saída da imaginação do diretor e roteirista J.J. Abrams – o celebrado criador da série Lost. Ambientada em 1979, numa época em que não existiam ainda os telefones celulares, a história evoca, desde o título, também o passado do próprio cinema, emprestando o nome das câmeras que antigamente eram quase tão populares quanto as agora onipresentes digitais.
 
Filme de época, ficção científica, suspense com ecos de drama familiar e romance adolescente, alguns momentos de filme de terror – parece muita coisa, e é, para definir o cruzamento de gêneros que aqui se propõe. Isto sem contar o largo passeio pelas referências cinematográficas de J. J. Abrams – que vão de O dia em que a Terra parou (1951) aos filmes do aqui produtor Steven Spielberg – como Contatos Imediatos do Terceiro Grau (1977) e E.T. – O Extraterrestre (1982) - , fazendo uma rápida escala em Conta comigo (1986). Mas, na mistura, é que o diretor mostra a que veio.
 
Charles (Riley Griffiths) é um pré-adolescente gordinho e cheio de energia que sonha em ser cineasta – e tem até uma certa semelhança física com Orson Welles. No momento, ele está empenhado em fazer um filme sobre zumbis para colocar num festival. Todo o esquema de produção é, naturalmente, caseiro. Ele conta com amigos do peito como Cary (Ryan Lee), Preston (Zach Mills) e Joe (Joel Courtney) para atuar e trabalhar na equipe técnica. Só falta convencer a loirinha mais bonita da escola, Alice (Elle Fanning, de “Um Lugar Qualquer”), para ser a estrela.
 
Contando com a jovem atriz, a turminha põe-se a filmar uma sequência noturna às escondidas, na estação de trem. Tudo corre bem até que presenciam um estranho acidente: uma caminhonete vem em alta velocidade sobre os trilhos, procurando chocar-se contra o trem que está chegando. A ideia dos meninos era só aproveitar a parada do trem como pano de fundo para uma cena romântica. O acidente, espetacular, põe todos eles para correr. A câmera fica no chão, filmando um material que logo mais se tornará objeto de uma intensa disputa.
 
Quem lançou a caminhonete contra o trem é um professor dos garotos, o dr. Woodward (Glynn Turman), que lhes conta uma estranha história sobre um extraterrestre. Pouco depois, a cidadezinha assiste à chegada de vários pelotões de tropas, que tomam conta do trem acidentado e de toda a situação.
 
Duas tramas paralelas prosseguem a partir daí. Uma delas gira em torno do suspense sobre o segredo do conteúdo do trem e o significado de um estranho cubo colhido na estação por Joe. A outra é o conflito entre o pai de Joe, o xerife-assistente Jackson (Kyle Chandler), e o pai de Alice, Louis (Ron Eldard), uma situação que complica o princípio de romance entre os dois adolescentes. A história tem a ver com a morte da mãe de Joe num acidente na fábrica em que também trabalhava o pai de Alice.
 
A primeira parte, quando os garotos encenam o filme e presenciam o desastre – uma sequência genuinamente eletrizante – é a melhor, inclusive repleta de humor. Quanto mais se define o mistério, em torno de um extraterrestre com estranhos hábitos alimentares, para dizer o mínimo, a história perde parte de sua energia. É uma aventura que provavelmente tem mais impacto sobre pré-adolescentes, que têm tudo para se reconhecerem na simpática turma aqui retratada, que em todos os momentos decide tomar a responsabilidade com as próprias mãos. Vale por isso. Como ficção científica,  Super 8 não tem nada de novo e é, na verdade, um tanto trash.
 
Elle Fanning, do alto dos seus 13 aninhos, está se tornando não só belíssima, mas também uma ótima atriz. Mais um orgulho no clã que já deu ao mundo Dakota Fanning (que atuou com Spielberg em Guerra dos Mundos).

Neusa Barbosa


Trailer


Comente
Comentários:
  • 20/08/2011 - 19h21 - Por Gabriel Moraes Super 8 é eletrizante e prende o espectador até o final. Apesar de alguns clichês de fato estarem presentes em alguns momentos do filme, eles são facilmente esquecidos com a agilidade que J.J possui de mesclar os gêneros e oferecê-los ao público de uma forma impactante,divertida,misteriosa e até comovente.Muito bom filme.PS: Neusa,adoro suas críticas. Vc é uma excelente profissional. Gostaria que vc fizesse mais críticas no site.Parabéns!
  • 21/08/2011 - 12h53 - Por Neusa Barbosa oi Gabriel:
    Concordo com vc, os clichês estão lá, mas não atrapalham a diversão.
    Obrigada pelos elogios!
    abraço

    Neusa
Deixe seu comentário:

Imagem de segurança