Família Braz - Dois Tempos

Ficha técnica

  • Nome: Família Braz - Dois Tempos
  • Nome Original: Família Braz - Dois Tempos
  • Cor filmagem: Colorida
  • Origem: Brasil
  • Ano de produção: 2011
  • Gênero: Documentário
  • Duração: 82 min
  • Classificação: Livre
  • Direção: Dorrit Harazim, Arthur Fontes
  • Elenco:

Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 0 votos

Vote aqui


País


Sinopse

Dez anos depois de “A família Braz”, Arthur Fontes e Dorrit Harazin voltam à Brasilândia e reencontram a família que foi o tema de seu documentário. Agora, uma década mais tarde, a situação dos Braz é bastante diferente, como mostra esse filme vencedor do É tudo verdade de 2011.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

08/06/2011

Grande vencedor do Festival É Tudo Verdade de 2011, Família Braz – Dois tempos faz uma radiografia de uma classe social em ascensão no Brasil. Os diretores Arthur Fontes e Dorrit Harazin voltam à Brasilândia – bairro de periferia da cidade de São Paulo – e reencontram os personagens de um documentário feito ali mesmo, dez anos atrás, A família Braz.
 
O filme é a ilustração e a prova concreta de um termo tão em evidência no país: a nova classe média. Os Braz – formados pelo Seu Toninho e Dona Maria, os filhos Anderson, Denise, Gisele e Éder – tinham seu mundo povoado por sonhos, aspirações e metas quando foi realizado o primeiro documentário. Agora, o novo filme atualiza o retrato.
 
Para pontuar a comparação, Fontes e Dorrit alternam cenas do primeiro documentário – aqui mostradas em preto-e-branco – e as imagens feitas no final de 2009, começo de 2010, com essas pessoas. Vemos sonhos concretizados, carreiras alavancadas e um notável aumento do poder aquisitivo, com direito a aquisição de bens de consumo antes impensáveis, como notebooks, celulares e até um carro que cada filho comprou para si.
 
Os documentaristas nunca tomam os Braz como a parte pelo todo. O filme, como fica bem claro, é um estudo de caso, mas que, ao mesmo tempo, serve como reflexo de muitas outras famílias na mesma condição. A ascensão econômica dos retratados é resultado da estabilidade econômica do Brasil.
 
É com muita delicadeza e sagacidade que Dorrit conduz as entrevistas e Fontes, a câmera – mas a troca entre os dois é tão simbiótica que é difícil dizer quem é responsável pelo que. Mas isso também não é tão importante. O que conta é aquilo que a dupla é capaz de extrair de seus entrevistados. E não é pouca coisa. Entramos na casa dessa família e saímos de lá como se conhecêssemos essas pessoas há anos. Isso é mérito dos cineastas.
 
Os filhos são o retrato da ascensão, todos empregados, recebendo salário, investindo e consumindo. A nenhum deles faltam objetivos. Denise parece ser a mais pragmática, chegando a fazer uma lista de metas que tenta cumprir durante o ano. Todos nessa família são figuras interessantes e carismáticas e os diretores souberam captar isso com a câmera e deixar fluir na montagem.

Alysson Oliveira


Trailer


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança