Amor Extremo

Ficha técnica


Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 4 votos

Vote aqui


Locais de filmagem


Sinopse

Em 1940, na Londres bombardeada pelos alemães na II Guerra Mundial, o poeta galês Dylan Thomas (Matthew Rhys) reencontra uma antiga namorada de adolescência, Vera (Kiera Knightley). A mulher de Dylan, Caitlin (Sienna Miller), e o noivo de Vera, William (Cillian Murphy), completam um instável quarteto amoroso. Baseada em fatos reais, a história foi roteirizada pela mãe da atriz Kiera Knightley, Sharman McDonald.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

07/01/2010

O cinema sempre adorou artistas conturbados. É mais fácil transformar em filme vidas e amores de pessoas pouco convencionais do que encontrar algum brilho na simplicidade de uma existência supostamente regrada. Nesse sentido, o drama inglês Amor Extremo acaba exagerando numa história que tem tintas de excesso já na sua origem.
 
Década de 1940, em Londres. Vera Philips (Keira Knightley, de Desejo e Reparação) é uma cantora emergente. Dylan Thomas (Matthew Rhys, da série Brothers & Sisters) é um poeta que viverá uma caso tórrido com a cantora, sua antiga paixão, e sua mulher, Caitlin (Sienna Miller, de Stardust – O Mistério da Estrela).
 
Vera, que se casa com William (Cillian Murphy, de Batman Begins), passa a viver numa casa ao lado da família de Dylan, numa região rural do País de Gales, enquanto seu marido vai lutar na II Guerra. É nesse momento que as coisas ficam bastante conturbadas para o trio. Dylan ama Vera, que o ama, mas também parece gostar muito de Caitlin, a mulher de Dylan, e mesmo de seu marido. Quando este volta do front, se escandaliza com a situação e ameaça a todos com uma arma.
 
Ele até pode estar certo, pois Amor Extremo não consegue penetrar em algo mais profundo nos personagens ou mesmo nas situações. Assim, todos eles – especialmente Dylan, Vera e Caitlin – não conseguem enxergar além do próprio umbigo. Pouco ajuda o fato de não haver qualquer química entre as duas atrizes que, supostamente, interpretam duas grandes amigas que se amavam, se odiavam e dividiam o mesmo homem.
 
Como as duas atrizes pouco conseguem tirar de seus personagens, sobra espaço para Rhys interpretar um Dylan Thomas menos caricato e com certo humor. Ele pode não parecer nada real – apenas uma versão cinematográfica do verdadeiro poeta -, mas, ainda assim, consegue chamar para si as atenções e permitir que o filme alce algum voo sempre que entra em cena.
 
Dirigido por John Maybury (Camisa de Força) a partir de um roteiro de Sharman Macdonald (dramaturga e mãe de Keira), “Amor Extremo” parece hipnotizado pela vida boêmia e repleta de escândalo de seus personagens, sempre nos lembrando que eles são apenas personagens, uma versão cinematográfica daquilo que os verdadeiros devem ter sido. 

Alysson Oliveira


Trailer


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança