Sob a Mesma Lua

Ficha técnica


Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 0 votos

Vote aqui


País


Sinopse

Rosário é imigrante ilegal nos EUA. E toda semana liga para seu filho que ficou no México. Quando a avó morre, o menino decide procurar a mãe e embarca sozinho numa viagem cheia de perigos.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

13/11/2008

Pouco tem o que dizer o drama mexicano Sob a Mesma Lua para quem não é mexicano e/ou pensa em migrar ilegalmente para os Estados Unidos. O longa lida com temas complexos e relevantes no mundo atual – mas aborda-os de forma simplista, rasa e manipulativa, aproximando-se muito mais das famosas telenovelas do país do que dos bons filmes feitos por lá nos últimos tempos.

Dirigido por Patricia Riggen, a partir de um roteiro de Ligiah Villalobos, Sob a Mesma Lua segue em duas narrativas paralelas. Em Los Angeles, Rosario (Kate del Castillo, de Desaparecidos) é uma imigrante ilegal que trabalha como faxineira em diversas casas. Assim, sustenta a mãe e o filho pequeno, Carlitos (Adrián Alonso), que moram no México.

Quando a avó morre, o menino decide que a única coisa a fazer é imigrar ilegalmente em busca da mãe – cuja única referência é um orelhão, de onde ela liga para ele todos os domingos. O garoto embarca nessa jornada e seu caminho cruza com diversos tipos, na maioria estranhos e pouco amigáveis. Enquanto isso, Rosario continua a trabalhar, mas cada vez mais infeliz com os Estados Unidos e ansiosa por voltar para o seu país.

A diretora e a roteirista de Sob a Mesma Lua parecem desconhecer sutilezas e nuances. Os personagens são ou muito bons e ingênuos ou muito maus e mesquinhos – não há meio-termo. A trama rocambolesca demais, e, por isso, muito improvável não chega a empolgar – a não ser os mexicanos que sonham em conquistar os Estados Unidos.

Os atores são esforçados, em especial o menino Alonso – mas seu personagem é tão raso que não tem muito o que fazer. Já a bela Kate Del Castillo parece bonita demais para convencer como imigrante ilegal – não que todas sejam feias, mas com essa beleza e carisma ela poderia muito bem tentar ser atriz de novela em seu país e depois entrar nos EUA pela porta da frente.

Alysson Oliveira


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança