5 Frações de uma Quase História

Ficha técnica

  • Nome: 5 Frações de uma Quase História
  • Nome Original: 5 Frações de uma Quase História
  • Cor filmagem: Colorida
  • Origem: Brasil
  • Ano de produção: 2007
  • Gênero: Drama, Comédia, Coletivo
  • Duração: 95 min
  • Classificação: 16 anos
  • Direção:
  • Elenco:

Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 0 votos

Vote aqui


País


Sinopse

Carlos é um fotógrafo obcecado por pés femininos. Akim é um burocrata que recebe uma proposta tentadora de um juiz corrupto. Um sujeito entra dentro da televisão e vive momentos surreais. Um funcionário de um frigorífico desconfia da fidelidade da mulher. E, por fim, uma moça sonhadora marca o encontro com um desconhecido por meio de um programa de rádio.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

08/05/2008

Esta produção mineira combina estilos e temas para contar pequenas tragédias urbanas. Assinada por seis diretores, traz em seu elenco nomes como Cláudio Jaborandy, Cynthia Falabella, Gero Camilo, Jece Valadão e Leonardo Medeiros. No ano passado, o longa ganhou o prêmio especial do júri e direção de arte no Cine PE, em Recife.

5 Frações de uma Quase História firma uma nova geração de cineastas vindos de Minas Gerais. Os seis diretores, Armando Mendz, Cristiano Abud, Cris Azzi, Guilherme Fiúza, Lucas Gontijo e Thales Bahia, acumulam também experiência em outras áreas, como produção e assistência.

As pequenas histórias que compõem o conjunto têm pequenos pontos de contato, sem interferir umas com as outras. Assim, Lúcia (Cyntia Falabella, de Batismo de Sangue) confunde o fotógrafo Carlos (Leonardo Medeiros, de :Não Por Acaso) com o sujeito que espera num parque. Surge um breve diálogo, mas nada que conecte de verdade os dois personagens.

Esses encontros e desencontros, aliás, fazem sentido diante da estrutura fragmentada na qual o filme acontece. Cada diretor – ou diretores, no caso de um dos episódios – lida com uma estética ou até mesmo um gênero. A história do fotógrafo Carlos, por exemplo, é mostrada em preto-e-branco, num estilo que lembra filme noir.

Carlos anda obcecado com pés femininos e saí pelas ruas fotografando desconhecidas, até que crê ter achado os pés perfeitos. Mas, para que possa fotografá-los, precisará contar com a ajuda de sua namorada, que não está disposta a fazer muitos sacrifícios por ele.

Numa outra narrativa, essa com tom mais experimental, um personagem sem nome (Luiz Arthur) mistura delírio e realidade ao se projetar dentro do aparelho de televisão e embarca numa jornada alucinada, na qual vive relacionamentos estranhos.

Akim (Nivaldo Pedrosa) é o clichê do burocrata, sem uma vida pessoal fora do trabalho, sem amigos ou família. Tudo muda quando um juiz corrupto (Jece Valadão, no último filme que completou) oferece dinheiro para que o rapaz assuma um crime que ele cometeu.

A história mais interessante, visual e narrativamente, pertence a Antonio (Cláudio Jaborandy, de O Caminho das Nuvens), funcionário de um frigorífico cuja mulher está se distanciando dele. Ele desconfia da infidelidade dela e isso pode trazer conseqüências trágicas.

No último segmento, Lucia sonha em encontrar o seu grande amor. Através de um programa de rádio, combina um encontro com Beto (Murilo Grossi), que ela não conhece. Quando o sujeito chega com intenções diferentes das dela, o episódio toma um rumo de tragicomédia.

Ao contrário de muitos filmes de episódios, 5 Frações de uma Quase História consegue manter o nível em todos os segmentos. A fotografia bem-cuidada e a montagem de bom ritmo asseguram o resultado positivo do longa.

Alysson Oliveira


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança