Três Vezes Amor

Ficha técnica


Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 0 votos

Vote aqui


País


Sinopse

Rapaz divorciado tenta explica à filha de 10 anos que o amor é mais complicado do que parece. Para isso, conta sua história com três namoradas. A menina terá de adivinhar qual delas envolve a mãe dela.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

24/04/2008

Comédia romântica, em Hollywood, é um gênero que tem sido submetido a tantas fórmulas e clichês que é é raro ver-se algo minimamente diferente, como Três Vezes Amor. Pode não ser um longa brilhante, mas pelo menos foge de muitos estereótipos que povoam o gênero – o que já é um saldo bem positivo.

Outro lado positivo é mostrar uma faceta mais humana – menos escatológica – do ator Ryan Reynolds, que ficou famoso fazendo comédias de gosto duvidoso, como A Hora do Rango e O Dono da Festa. Aqui ele é Will Hayes, um sujeito divorciado que precisa explicar as complicações da vida a dois para a filha de 10 anos, Maya, vivida por Abigail Breslin, a protagonista de Pequena Miss Sunshine.

Will assusta-se com as perguntas da garota, que começou a ter aulas de educação sexual na escola. Ela quer saber praticamente tudo sobre o pai: quantas namoradas teve, como se casou com a mãe, entre outra coisas. Contrariado, ele percebe que a única saída é contar mesmo tudo para a menina.

Começa uma espécie de jogo entre pai e filha. Will vai contar três histórias de amor que ele viveu, e a menina deve adivinhar qual delas envolve sua mãe. Seguem então vários flashbacks da vida do rapaz, eventualmente interrompidos pelas perguntas da menina.

A primeira história começa no início dos anos de 1990, quando Will deixa sua cidade, em Wisconsin, para passar dois meses em Nova York, trabalhando na campanha de Bill Clinton. Ele deixará para trás sua namoradinha, Emily (Elizabeth Banks, de Homem Aranha 3). Ela não está contente com isso, mas o rapaz acredita que o casal conseguirá lidar com a separação e chegar ao casamento.

Na cidade grande, ele descobre que se dar bem na vida não é tão fácil quanto esperava. Enquanto luta para que seus talentos sejam descobertos, ele conhece duas outras garotas que serão importantes em sua vida.

April (Isla Fisher, de Penetras Bons de Bico) não se importa nada com política, trabalha na campanha apenas pelo dinheiro. Já Summer (Rachel Weisz, de Um Beijo Roubado) é ambiciosa e sonha ser uma grande jornalista. A vida de Will transita entre encontros e desencontros envolvendo as três mulheres, além das dificuldades de sua carreira.

Escrito e dirigido por Adam Brooks (Uma História a Três), Três Vezes Amor tem um pano de fundo político envolvendo a campanha de Bill Clinton de 1992 – mas pedir um aprofundamento de uma comédia romântica seria demais. Ainda assim, o longa contém algumas reflexões sobre o idealismo dos que lutaram pela eleição de Bill Clinton e algumas decepções que vieram depois.

Reynolds pode ser o centro do filme, mas quem garante o charme e a profundidade são as mulheres que o cercam – e não apenas as três namoradas. As três personagens adultas fogem do estereótipo e são seres humanos próximos dos reais, o que é um grande ganho para Três Vezes Amor. Já Abigail empresta sua graça inocente de criança que está descobrindo o mundo – e não imaginava que amar era tão complicado.

Alysson Oliveira


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança