Licença Para Casar

Ficha técnica

  • Nome: Licença Para Casar
  • Nome Original: License to Wed
  • Cor filmagem: Colorida
  • Origem: EUA
  • Ano de produção: 2007
  • Gênero: Comédia
  • Duração: 91 min
  • Classificação: 10 anos
  • Direção:
  • Elenco: Robin Williams

Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 0 votos

Vote aqui


País


Sinopse

Ben e Sadie são um casal de noivos bem apaixonados. A vida corre tranqüila e eles até já moram juntos. Decidem casar na mesma igreja que os pais da moça. Lá, o pastor (Robin Williams) vai tornar a vida deles um inferno quando os obriga a fazer um cursinho pré-nupcial.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

30/08/2007

Se Robin Williams traçou um plano para destruir sua carreira, está indo muito bem. Seu papel aqui, como o reverendo Frank, tem o peso de uma âncora de chumbo, capaz de afundar qualquer tentativa de leveza – que é, afinal, o que se espera de uma comédia.

A bem da justiça, é bom lembrar que não é tudo culpa do ator. O roteiro é péssimo (vamos aos nomes: Kim Barker, Tim Rasmussen e Vince Di Meglio) e a direção (de Ken Kwapis), displicente. O enredo tropeça tanto em seus próprios clichês que não sobra nada para rir. Apenas lamentar o tempo perdido assistindo a uma coisinha tão infame e ruim.

Sadie (a atriz e cantora Mandy Moore) e Ben (John Karsinski, da série The Office) estão de casamento marcado. Maior love, nenhuma nuvem no horizonte, nenhum conflito de família, apesar da diferença social – Sadie é mais riquinha do que Ben. Nenhum problema até a moça acatar a “sugestão” da família, de se casar na mesma igreja em que seus pais se casaram, 30 anos atrás. Não é um mero endereço. Ali é o reino de um pastor, com o perdão da heresia, infernal, o citado Frank (Williams).

Controlando sua comunidade com mão de ferro, o sorridente Frank não tem o menor pudor em intrometer-se na intimidade dos casais que decidem casar-se em sua paróquia – e que têm de seguir um esdrúxulo cursinho comandado por ele. E que nada mais é do que uma sucessão de situações humilhantes para o até então felicíssimo casal de noivos.

Entre os inúmeros vexames do curso, que pretende avaliar sua maturidade para o casamento, os noivos aceitam carregar para todo lado uma dupla de bebês de brinquedo. Os bonecos têm uma incrível capacidade de chorar alto e sujar as fraldas, até porque são acionados à distância pelo diabólico auxiliar mirim de Frank (Josh Flitter).

Tem coisa pior. Por já morarem juntos, Sadie e Ben tornam-se alvo de uma espionagem cerrada por parte de Frank e seu pequeno assistente. É o aprendiz de pastor, justamente, quem vai plantar microfones escondidos no apartamento de Sadie e Ben, para fiscalizar se estão mesmo evitando sexo até o casamento, como prometeram. Tanta repressão moralista e tanta idiotice, inclusive por parte das vítimas, só pode levar a um resultado: a irritação - inclusive da platéia. Quem acredita que uma situação destas seja possível hoje em dia ?

Não há uma única piada que se aproveite nesta comédia chocha, de uma babaquice inacreditável. Robin Williams e os outros atores deviam demitir seus agentes com a máxima urgência. Quem os colocou nisto aqui merece ser punido.

Neusa Barbosa


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança