Lady Vingança

Ficha técnica

  • Nome: Lady Vingança
  • Nome Original: Chinjeolhan geumjassi / Sympathy for Lady Vengeance
  • Cor filmagem: Colorida
  • Origem: Coréia do Sul
  • Ano de produção: 2005
  • Gênero: Suspense, Drama
  • Duração: 112 min
  • Classificação: 18 anos
  • Direção: Park Chan-wook
  • Elenco: Lee Young-ae, Choi Min-sik

Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 0 votos

Vote aqui


País


Sinopse

Geum-ja é uma jovem de 19 anos quando é condenada a 13 anos de prisão pelo seqüestro e morte de um menino de seis anos. Na prisão, ela aprende confeitaria para ter um ganha-pão depois que sair de lá. E faz amigas que possam ajudá-la a pôr em prática um longo, sofisticado e terrível plano de vingança contra seu ex-professor, Baek.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

10/05/2007

O cineasta Park Chan Wook faz a linha dos que praticam cinema com entranhas – às vezes, literalmente. Por filmes como Old Boy (Grande Prêmio do Júri em Cannes 2003) e este Lady Vingança (Prêmios Cinema Avvenire e Pequeno Leão de Ouro em Veneza 2005), tornou-se um dos principais expoentes de uma cinematografia que, fora o vigor e a contundência indiscutíveis, ainda arremata boa parte das preferências de seu público dentro do mercado interno. Uma façanha da qual só a Índia e a França costumam se aproximar, desafiando o domínio planetário do gosto exercido com mão de ferro por Hollywood.

Lady Vingança fecha a famosa trilogia do diretor, iniciada em 2002 com Sympathy for Mr. Vengeance - ainda inédito nas salas brasileiras -, seguida por Old Boy, o primeiro dos três a aportar por aqui. Uma trilogia temática, é bom que se diga, porque as três histórias têm personagens distintos mas todas giram em torno de vinganças. Vinganças, aliás, espetaculares e que nada têm de ordinário.

A trágica beleza de Lady Vingança, o único dos três filmes a ter uma protagonista mulher, começa nos créditos iniciais. São um primor estético que evolui para um virtuoso trabalho de câmera, colocando em evidência a turbulência emocional de Geum-ja (Lee Young-ae). Quase menina de 19 anos, ela foi condenada a 13 anos de prisão pelo seqüestro e morte de um menino de seis anos. O rosto angelical encobre uma natureza dúbia, capaz de bondade, mas também de uma persistência indomável na perseguição de seus objetivos. Que, dentro da prisão, incluem eliminar a chefona de sua cela, que intimida as demais detentas a lhe prestarem favores sexuais – que o filme mostra com total crueza.

Meticulosa, Geum-ja aproveita a longa sentença para desenvolver sua habilidade como confeiteira e também ganhar aliadas para a missão de sua vida fora das grades: a vingança contra seu ex-professor, o sr. Baek (Choi Min-sik, o protagonista de Old Boy). Comandando com precisão o ritmo da eletrizante narrativa, o diretor libera pouco a pouco os detalhes desta impagável dívida que une o professor à ex-aluna. Uma história de que participam a filha desaparecida de Geum-ja e uma série de crimes misteriosos, todos envolvendo crianças.

Chan Wook é um mestre da tensão e a usa sem parcimônia. Mantém seus espectadores no fio da navalha e os mergulha na angústia de seus personagens. Sua maestria maior está em criar emoções genuínas neste melodrama que se acompanha com o coração na boca e um sentimento de compaixão por Lady Vingança (o título original do filme).

No sombrio mundo criado pelo diretor, há escassa possibilidade de pureza nas relações humanas – como entre Geum-ja e sua filha. A sexualidade é sempre mostrada por um viés sórdido, como nas cenas entre as presas na cadeia e especialmente a do professor com uma de suas protegidas, na mesa de jantar. Só o sangue parece capaz de expiar estas culpas, estes pavores, estas relações de dominação e abuso. É um mundo fatalista, extremo como a própria vida.

Neusa Barbosa


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança