Hollywoodland - Os Bastidores da Fama

Ficha técnica

  • Nome: Hollywoodland - Os Bastidores da Fama
  • Nome Original: Hollywoodland
  • Cor filmagem: Colorida
  • Origem: EUA
  • Ano de produção: 2006
  • Gênero: Suspense, Drama
  • Duração: 126 min
  • Classificação: 14 anos
  • Direção:
  • Elenco: Adrien Brody, Ben Affleck, Diane Lane

Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 0 votos

Vote aqui


País


Sinopse

Nos anos 50, George Reeves lutava por um lugar ao sol em Hollywood. Circulando em lugares sofisticados, atrai a atenção de Toni Mannix, que é ninguém menos do que a mulher do poderoso chefão do estúdio Eddie Mannix. Ela se torna amante de Reeves e ajuda-o a conseguir papéis. Ele se torna famoso como intérprete do Super-Homem num seriado de TV. Mas o sucesso tem seu lado trágico para ele.


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

08/03/2007

O galã Ben Affleck conseguiu um inédito prêmio como melhor ator no Festival de Veneza 2006 por seu bom trabalho neste drama com molho de filme noir que marca a estréia em cinema do diretor Allen Coulter – que tem no currículo a direção de diversos episódios em séries de TV de sucesso, como Sex in the City, A Sete Palmos, Arquivo X, Os Sopranos e Roma.

O roteiro se alimenta de um personagem trágico de Hollywood, o ator George Reeves (1914-1959). Famosíssimo como o intérprete do Super-Homem na televisão nos anos 50, Reeves teria cometido suicídio em sua casa, em Tinseltown. Uma versão oficial que o filme coloca em dúvida, evidenciando as ligações perigosas mantidas pelo ator.

Bonitão, Reeves circulava em restaurantes luxuosos onde pudesse fazer-se notado e, de preferência, conseguisse sair numa foto no jornal ao lado de alguém bem famoso - no que muitas vezes era bem-sucedido. Nessa estratégia de "papagaio de pirata", atraiu a atenção de Toni Mannix (Diane Lane), ninguém menos do que a mulher de um dos mais poderosos chefões de estúdio de Hollywood, no caso, Eddie Mannix (Bob Hoskins), do MGM.

O romance rende frutos. George ganha uma bela casa de sua amante e através dela abre alguns canais para alavancar sua carreira. Mas o que lhe dá realmente notoriedade é o papel de Super-Homem num seríado de TV, no qual a princípio ninguém apostava.

O sucesso tem sabor duvidoso, porém. Reeves sonha com uma carreira em filmes de primeira linha. Consegue ser escalado para um papel no que seria um clássico premiado de Fred Zinnemann, A Um Passo da Eternidade. Mas, nas sessões de teste junto ao público, ele é reconhecido como Super-Homem e alguns espectadores começam a rir. A reação teria provocado o corte da maioria de suas cenas no filme - uma versão, aliás, que o diretor Zinnemann sempre negou.

Hollywoodland investiga a história do mergulho do ator na decadência e no álcool depois de chegar a este impasse profissional e existencial usando a investigação da morte por um detetive, Lous Simo (Adrien Brody), que foi contratado pela mãe do ator (Lois Smith).

Na pele de Simo, atormentado por um casamento fracassado e problemas de dinheiro, Brody constrói mais uma performance honesta e repleta de nuances, especialmente a ironia melancólica que lhe cai tão bem.

O filme se revela, afinal, como um drama interessante sobre as incertezas da sorte e as ilusões de Hollywood.

Neusa Barbosa


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança