Cartas de Iwo Jima

Ficha técnica

  • Nome: Cartas de Iwo Jima
  • Nome Original: Letters From Iwo Jima
  • Cor filmagem: Colorida
  • Origem: EUA
  • Ano de produção: 2006
  • Gênero: Guerra, Drama
  • Duração: 140 min
  • Classificação: Livre
  • Direção: Clint Eastwood
  • Elenco: Ken Watanabe

Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 1 votos

Vote aqui


País


Sinopse

Em fevereiro de 1945, final da II Guerra Mundial, os japoneses estão sendo derrotados. Um de seus últimos focos de resistência é a ilha de Iwo Jima, que tropas americanas atacam em massa. Dentro da ilha, escondidos em túneis cavados na rocha, 20.000 soldados japoneses resistem como podem, diante da falta de reforços e o fim de munições, alimentos e água.


Extras

- Sol vermelho/ areia negra: o making of de Cartas de Iwo Jima


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

15/02/2007

Segundo filme de um projeto duplo do diretor Clint Eastwood, que começou com A Conquista de Honra, Cartas de Iwo Jima examina a batalha pela ilha japonesa de Iwo Jima, em fevereiro de 1945, de um ponto de vista pouco comum em filmes de guerra – o dos vencidos. Revela os pormenores do esforço, reconhecidamente inútil, de defender a ilha, num momento em que o Japão jogava suas últimas cartadas na guerra, perdendo o fôlego a cada derrota. A ousadia deste trabalho é permitir-se olhar o lado inimigo, revelando que também ele tem suas razões, sentido de honra e dignidade. Se o heroísmo não é impossível numa situação de guerra, ele é certamente pouco provável. O que impera é a mais crua luta pela sobrevivência.

Satanizados implacavelmente em praticamente todos os filmes abordando a II Guerra Mundial, os japoneses são aqui tratados com profundo respeito, que começa pelo fato de que os diálogos são inteiramente desenvolvidos em japonês - o que certamente explica o sucesso do filme no Japão. O roteiro desenvolve as personalidades dos personagens, quase todos interpretados por atores japoneses. Caso do general Tadamichi Kuribayashi (Ken Watanabe), o estrategista por trás do plano de cavar túneis interligando cavernas subterrâneas na ilha, detalhe que permitiu que os nipônicos ali resistissem por mais de um mês; do elegante tenente-coronel Nishi (Tsuyoshi Ihara), barão e medalhista olímpico em hipismo; do relutante soldado Saigo (Kazunari Ninomyia), um padeiro convocado contra a vontade e que só pensa em fugir e voltar para a mulher e o filho que nasceu em sua ausência; do melancólico Shimizu (Ryo Kase) e do fanático tenente Ito (Shidou Nakamura).

Compositor ele mesmo da maior parte da música dos dois filmes – neste segundo, com a participação de seu filho, Kyle Eastwood, e de Michael Stevens - Clint Eastwood arremata as duas histórias num dueto. Uma termina onde a outra começa e ambas dialogam e se explicam mutuamente. Uma proposta sofisticada, que não teve uma grande resposta do público americano mas foi ao menos lembrada nas indicações do Oscar. Cartas de Iwo Jima, mais privilegiado neste aspecto do que A Conquista da Honra, teve quatro: melhor filme, diretor, edição de som e roteiro original.

Neusa Barbosa


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança