O Homem Duplo

Ficha técnica

  • Nome: O Homem Duplo
  • Nome Original: A Scanner Darkly
  • Cor filmagem: Colorida
  • Origem: EUA
  • Ano de produção: 2006
  • Gênero: Ficção científica, Animação
  • Duração: 100 min
  • Classificação: Livre
  • Direção:
  • Elenco:

Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 0 votos

Vote aqui


País


Sinopse

O policial Fred (Keanu Reeves) investiga um traficante chamado Bob, que pode ser ele mesmo. A mente dele está se dissociando pelo uso contínuo de uma droga. A investigação o leva a um pesadelo lisérgico, envolvendo seus amigos e namorada (Winona Ryder).


Extras

- Comentários do roteirista e diretor Richard Linklater, Keanu Reeves, Isa Dick Hackett (filha de Phillip K. Dick), o produtor Tommy Pallotta e o historiador de Phillip K. Dick, Jonathan Lethem

- Um verão em Austin: A história da filmagem de O Homem Duplo

- O peso do traço: Contos de animação

- Trailer


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

01/02/2007

Com roteiro baseado na obra A Scanner Darkly, de Philip K. Dick (1928-1982), O Homem Duplo é uma animação dirigida por Richard Linklater (Antes do Pôr-do-Sol) nos mesmos moldes de seu Waking Life (01). Primeiro o diretor grava as cenas com atores, como se fosse um filme normal, depois transforma-as em animadas através de um programa de computador que pode levar até 500 horas para criar um minuto de resultado final.

O esforço recompensa. O que se vê na tela é uma animação estilizada e ao mesmo tempo detalhista. Aliás, não dá para se imaginar outra forma de se adaptar esse livro a não ser com animação. Tudo porque na trama existe um terno especial que muda o rosto e o corpo de quem o veste incessantemente.

O figurino é usado pelo policial Fred (Keanu Reeves), que está investigando um traficante chamado Bob, interpretado pelo mesmo ator. Na verdade, eles são a mesma pessoa. Porém, a mente do oficial acabou se dissociando, devido ao uso constante de uma droga chamada Substância D (esse D, vem de várias palavras, mas em especial ‘death’, morte).

Porém, ele nem sempre tem consciência disso, assim como seus colegas de trabalho. Como todos usam o figurino especial na agência, ninguém conhece a verdadeira identidade dos colegas. Os amigos de Bob, todos envolvidos com drogas, também desconhecem a vida dupla do rapaz.

Dick escreveu o livro no final da década de 70, depois de usar drogas por anos. Ao final da obra, ele fez uma dedicatória a diversos amigos que morreram ou ficaram inválidos por causa do vício. E é exatamente esse clima que também permeia o filme, o da perda da inocência. Não por acaso, o escritor é chamado até hoje de visionário.

Linklater não teme transitar entre o noir e os filmes de paranóia dos anos 70, em especial A Trama, protagonizado por Warren Beatty. Assim, O Homem Duplo deixa claro que o século XXI começa com uma retomada da moral daquela década, com valores mais repressivos e descontentamentos. A vigilância governamental faz do filme uma espécie de 1984 viciado em drogas.

Alysson Oliveira


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança