Peões

Ficha técnica

  • Nome: Peões
  • Nome Original: Peões
  • Cor filmagem: Colorida
  • Origem: Brasil
  • Ano de produção: 2004
  • Gênero: Documentário
  • Duração: 85 min
  • Classificação: Livre
  • Direção: Eduardo Coutinho
  • Elenco:

Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 1 votos

Vote aqui


País


Sinopse

Documentário que procura formar um retrato da geração de operários que participou das grandes greves de metalúrgicos do ABC, no final dos anos 70. Escolhem-se personagens que não ocuparam cargos de direção nos sindicatos e revela-se o que ocorreu na vida e nas convicções de cada um.


Extras

- Personagens excluídos da montagem final

- Boca de lixo, documentário de Eduardo Coutinho sobre pessoas que vivem de um lixão

- Curta-metragem de Coutinho em que personagens do filme mostram lembranças pessoais das grandes greves, como fotos, jornais e suvenires



Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

19/11/2004

Numa época tão obcecada pela celebridade a qualquer preço, Eduardo Coutinho cultiva corajosamente a sua fidelidade incondicional aos anônimos - que ele prefere nomear como "pessoas comuns".

Falando das greves dos metalúrgicos do ABC, em 1979 e 1980, ele escapa mais uma vez pela tangente, escolhendo os ex-grevistas que não se instalaram nas diretorias sindicais, prefeituras e partidos políticos. Prefere aqueles que continuaram sendo trabalhadores simplesmente, em vidas que deram reviravoltas, com o retorno à terra de origem, no Ceará, ou o risco de um sonho, como do pequeno empresário Miguel do Forró, que saiu da fábrica e abriu um salão de danças. Em suma, filma os pequenos que escolheram ser pequenos ou não puderam deixar de sê-lo.

É dessa gente miúda à primeira vista que Coutinho, o mais renomado documentarista do país, extrai a grande História. Tira do anonimato rostos não famosos, recolhidos em álbuns de fotografias e filmes da época - como ABC da Greve, de Leon Hirzman, Linha de Montagem, de Renato Tapajós, e Greve, de João Batista de Andrade - e constrói, a partir de 21 personagens (de 50 entrevistados) o fio de uma mudança radical na história do Brasil. O fim da ditadura militar, a luta pela democratização e as eleições diretas, a formação do líder Luiz Inácio Lula da Silva, o desemprego, a globalização, a terceirização estão no fundo de todos os relatos, onde não falta, como sempre nos filmes do diretor, o contexto familiar e afetivo de cada pessoa.

Os personagens em Peões são tratados pelo primeiro nome, o que faz com que conquistem a imediata intimidade com o espectador. São vistos nas salas ou cozinhas de suas casas, ou num bar da esquina que se parece com todos os bares, de todas as esquinas do mundo - uma pista de que o que é muito particular, na verdade, é também universal, marca da maestria delicada de Coutinho. Filhos e mulheres dos trabalhadores são também convidados a darem seus palpites, deixando entrever a continuidade dessa história que começou em 1979 e não parou. O balanço dos que falam para a câmera dá conta do retrato de uma elite do operariado que, num momento único, tomou seu destino com as próprias mãos e teve condições de mudá-lo. Um tempo que passou. Geraldo, o soldador que finaliza o filme com uma definição que explica o seu título, deixa bem claro que não quer que seus filhos sejam peões. Há bravura, consciência e alguma melancolia neste retrato vívido dos trabalhadores do ABC.

Neusa Barbosa


Comente
Comentários:
  • 05/01/2011 - 13h43 - Por viking gosto muito desse documentario, pois mostra a fidelidade de uma classe muito simples mas com ideais politico acentuados. ñ são alienados e sabem a causa que defendem dando um suporte de confiança naqueles que elegeram ser um lider dos trabalhadores daquela época. pena que na politica tudo muda muito rapido e imagino a decepção dessa gente com o que assistiram nessas mudanças da epoca dos depoimentos até a data de hoje. mas a ideia do autor é muito boa e passa uma menssagem de otimismo e confiança na liderança de classe quando bem articulada. obs: tem um documentario filmado aqui em olinda onde conta a historia do côco do Amaro Branco um bairro da cidade, ñ sei bem o titulo só sei que é muito bom e me parece que se chama o côco, a lua e o farol ou é inverso se vcs tiverem conhecimento gostaria de informações sobre o mesmo agradeço antecipadamente. um abraço atodos do site.
Deixe seu comentário:

Imagem de segurança