A Janela Secreta

Ficha técnica


Avaliação do leitor

PéssimoRuimRegularBomÓtimo 0 votos

Vote aqui


País


Nota Cineweb

PéssimoRuimRegularBomÓtimo


Crítica Cineweb

15/04/2004

O que pode haver de pior para um escritor do que um bloqueio criativo? Olhar para a tela em branco e esperar as palavras brotarem torna-se um círculo vicioso que vai consumindo o talento e a paciência de qualquer um. Muitos, em busca de inspiração, fogem de seu ambiente cotidiano e mudam-se para lugares mais calmos - o caso da personagem de Charlotte Rampling no recente filme francês Swimming Pool. Já Mort Rainey, personagem de Johnny Depp em A Janela Secreta, é obrigado a morar em um casebre a beira de um lago. Não por causa de seu bloqueio, mas por conta da separação de sua mulher infiel (Maria Bello).

Rainey, que é um autor de sucesso, está tentando trabalhar em seu novo livro, mas não consegue avançar. Ora porque lhe faltam idéias, ou porque o fantasma da traição de sua mulher o persegue, e mais recentemente por causa de um maluco de chapéu que aparece na porta de sua casa dizendo que foi plagiado. John Shooter, um caipira esquisitão, interpretado com maestria por John Turturro, clama ter escrito anos antes de ser publicado um conto de autoria de Rainey.

Surge então uma acirrada disputa em torno da obra: quem seria o verdadeiro autor. Rainey diz ter uma revista antiga com a data de publicação de seu texto, provando com isso que ele sim foi plagiado por Shooter. Este, por sua vez, diz que se o famoso escritor comprovar esta versão vai deixá-lo em paz e sumir da sua vida. Porém, enquanto espera que uma cópia da tal revista lhe seja enviada, Rainey mergulha em um pesadelo criado por Shooter.

Tal qual Swimming Pool, A Janela Secreta tem uma reviravolta perto do final. Embora não seja algo tão sutil e sofisticado como no filme francês, o longa de David Koepp (roteirista dos dois Homem-Aranha e O Quarto do Pânico, entre outros) consegue manter o clima de suspense. No entanto, o terceiro ato do filme é exagerado e mesmo previsível, acabando com a eficiência de todo o suspense construído até então.

Em certo momento, Rainey diz que em um livro a única coisa que importa é o final. Mas é exatamente o final que prejudica A Janela Secreta. A sensação que se tem é de que há dois filmes em um só. O primeiro, um complexo e bem elaborado estudo de personagem, sobre um escritor tentando vencer seus fantasmas da solidão e depressão. Já o segundo é um suspense chato e forçado que não garante surpresas nem sustos.

O roteiro é baseado em uma novela de Stephen King Secret Garden, Secret Window. E nela o autor volta a abordar a relação entre o escritor e sua obra, como fez com muito mais fôlego em Misery, que rendeu o ótimo Louca Obsessão, que deu o Oscar a Kathy Bates. O que há alguns anos era um chamariz para estar impresso em letras garrafais no cartaz do filme, desta vez o fato de o roteiro ser baseado em King passa quase que batido. No trailer do filme isso nem é mencionado. Provavelmente porque os últimos filmes baseados nos livros dele, como Apanhador de Sonhos e Lembranças de um Verão, naufragaram nas bilheterias.

Alysson Oliveira


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança