MOSTRA 2014

Mostra Internacional de São Paulo começa dia 16 com vinco ibero-americano

Neusa Barbosa

Mostra Internacional de São Paulo começa dia 16 com vinco ibero-americano
Marcada por uma grande homenagem ao cinema espanhol, a 38ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo, que começa no próximo dia 16 de outubro, nasce sob um signo ibero-americano, a partir já da arte do cartaz e da vinheta, criadas pelo cineasta Pedro Almodóvar, que recebe também uma retrospectiva de 8 filmes, e com apresentação de três trabalhos do celebrado Victor Erice (O Espírito da Colmeia, O Sul e O Sol de Marmelo). Além deles, serão exibidas também obras experimentais e de representantes da nova geração do cinema da Espanha, totalizando 42 títulos desse país.
 
Uma comédia argentina, produzida pela El Deseo dos irmãos Almodóvar, Relatos Selvagens, de Damián Szifrón, que concorreu à Palma de Ouro em Cannes 2014, será a atração de abertura da Mostra, em sessão para convidados no Auditório Ibirapuera. O filme de encerramento, na noite de 29 de outubro, é a produção dominicana Dólares de Areia, de Amélia Guzmán e Israel Cárdenas, que será apresentada pela atriz Geraldine Chaplin.
 
O ano do centenário do personagem Carlitos também não foi esquecido na extensa programação, que exibirá o curta em que ele fez sua estreia, Corrida de Automóveis para Meninos (1914), de Henry Lehrman, e também o sucesso O Circo (1928), dirigido e estrelado por Charles Chaplin. Ambos serão exibidos ao ar livre, na área externa do Auditório Ibirapuera.
 
Outro centenário comemorado na Mostra é do nascimento do cineasta japonês Noburo Nakamura, de quem serão exibidos três títulos restaurados: Lar Doce Lar (51), Quando a Chuva Cai (57) e Paixão Mórbida (64).
 
Inéditos e premiados
 
Nem só de clássicos vive a Mostra, mas também de títulos inéditos, como o documentário Jia Zangke, Um Homem de Fenyang, de Walter Salles, que faz sua estreia mundial em São Paulo, em dobradinha com o lançamento de um livro sobre o premiado diretor chinês, O Mundo de Jia Zanghke, escrito pelo crítico francês Jean-Michel Frodon.
 
Outros filmes inéditos no Brasil e premiados em alguns dos principais festivais internacionais desembarcam nas 35 salas de 29 espaços consagrados à programação da Mostra: o vencedor do Leão de Ouro em Veneza, Um Pombo Pousou num Galho Refletindo sobre a Existência, de Roy Andersson, o vencedor do Leão de Prata em Veneza As Noites Brancas do Carteiro, de Nikita Mikhalkov; o vencedor do prêmio da seção Giornate degli Autori de Veneza, Retorno a Ítaca, de Laurent Cantet; o vencedor da Palma de Ouro em Cannes, Winter Sleep, de Nuri Bilge Ceylan; o vencedor do prêmio de melhor direção em Cannes, Foxcatcher – Uma História que Chocou o Mundo, de Bennett Miller; o vencedor do prêmio de melhor roteiro em Cannes, Leviatã, de Andrei Zvyangintsev; o vencedor do Leopardo de Ouro em Locarno, Do que Vem Antes, de Lav Diaz; o vencedor do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, Branco Sai, Preto Fica, de Adirley Queiroz e o vencedor do Festival de Paulínia, A História da Eternidade, de Camilo Cavalcante.
 
O México de Buñuel
 
Entre as inúmeras atividades da Mostra, inclui-se a exposição na Cinemateca Brasileira de uma série de 85 fotografias, realizadas no México pelo cineasta espanhol Luis Buñuel, que lá viveu e realizou diversos filmes, como Os Esquecidos. Quase todas as fotos relacionam-se com produções realizadas naquele período, oferecendo uma visão dos bastidores que cercaram o trabalho do grande realizador.
 
Mais informações sobre a Mostra e sua programação no site: www.mostra.org

Deixe seu comentrio:

Imagem de segurana