Festival de Brasília 2014

"Branco sai, Preto Fica" é o melhor filme em Brasília

Neusa Barbosa
"Branco sai, Preto Fica" é o melhor filme em Brasília
Foi bastante distributivista a premiação do 47º Festival de Brasília, que concedeu cinco troféus à produção pernambucana Brasil S/A, de Marcelo Pedroso – que venceu melhor direção, roteiro, trilha sonora, som e montagem -, ficando com o cobiçado troféu de melhor filme a vigorosa e criativa produção da Ceilândia (DF) Branco Sai, Preto Fica, de Adirley Queiroz, que acumulou também melhor ator (Marquim do Tropa), direção de arte e melhor filme para o júri da Abraccine (Associação Brasileira de Críticos de Cinema).
 
O belo Ventos de Agosto, de Gabriel Mascaro, ganhou apenas dois prêmios: melhor atriz (Dandara de Morais) e fotografia, muito pouco para este filme. E o mineiro Ela volta na quinta, de André Novais Oliveira, outros dois, melhor ator e atriz coadjuvantes (Renato Novais Oliveira e Élide Silpe). O documentário paulista Sem Pena, de Eugênio Puppo, conquistou o prêmio de melhor filme para o público. Só passou mesmo em branco de premiações o concorrente paraibano Pingo D’Água, de Taciano Valério, o filme mais enigmático de toda a seleção.
 
Por uma decisão própria, no entanto, os seis realizadores concorrentes haviam acertado anteriormente dividir a premiação principal, melhor filme, qiue concede um prêmio de R$ 250.000,00, entre si, em partes iguais. Brasília sempre foi, e continua sendo, um palco de filmes, debates e atitudes políticas, como essa.
 
Abaixo, a premiação completa:
 
MOSTRA COMPETITIVA DE FILMES DE LONGA-METRAGEM
 
Melhor filme (R$ 250.000,00) – Branco sai. Preto fica, de Adirley Queirós
 
Melhor filme pelo júri popular (R$ 50.000,00) – Sem pena, de Eugenio Puppo
 
Melhor direção (R$ 30.000,00) - Marcelo Pedroso, por Brasil S/A
 
Melhor ator (R$ 15.000,00) – Marquim do Tropa, por Branco sai. Preto fica
 
Melhor atriz (R$ 15.000,00) – Dandara de Morais, por Ventos de Agosto
 
Melhor ator coadjuvante (R$ 10.000,00) – Renato Novais de Oliveira, por Ela volta na quinta
 
Melhor atriz coadjuvante (R$ 10.000,00) – Élida Silpe, por Ela volta na quinta
 
Melhor roteiro (R$ 15.000,00) – Marcelo Pedroso, por Brasil S/A
 
Melhor fotografia (R$ 15.000,00) – Gabriel Mascaro, por Ventos de Agosto
 
Melhor direção de arte (R$ 15.000,00) – Denise Vieira, por Branco sai. Preto fica
 
Melhor trilha sonora (R$ 15.000,00) – Mateus Alves, por Brasil S/A
 
Melhor som (R$ 15.000,00) – Pablo Lamar, por Brasil S/A
 
Melhor montagem (R$ 15.000,00) – Daniel Bandeira, por Brasil S/A
 
 
MOSTRA COMPETITIVA DE FILMES DE CURTA-METRAGEM
 
Melhor filme (R$ 35.000,00) – Sem coração, de Nara Normande e Tião
 
Melhor filme pelo júri popular (R$ 25.000,00) – Crônicas de uma cidade inventada, de Luísa Caetano
 
Melhor direção (R$ 15.000,00) - Nara Normande e Tião, por Sem coração
 
Melhor ator (R$ 10.000,00) - Zé Dias, por Geru
 
Melhor atriz (R$ 10.000,00) – Maeve Jinkings, por Estátua!
 
Melhor roteiro (R$ 10.000,00) – Gabriela Amaral Almeida, por Estátua!
 
Melhor fotografia (R$ 10.000,00) – Beto Martins, por Loja de répteis
 
Melhor direção de arte (R$ 10.000,00) – Juliano Dornelles, por Loja de répteis
 
Melhor trilha sonora (R$ 10.000,00) – Piero Bianchi, Vinícius Nunes e Mateus Alves , por Loja de
 
répteis
 
Melhor som (R$ 10.000,00) – Fábio Baldo, por Geru
 
Melhor montagem (R$ 10.000,00) - Nara Normande e Tião, por Sem coração
 
TROFÉU CÂMARA LEGISLATIVA DO DF - MOSTRA BRASÍLIA
 
Melhor longa-metragem – Branco Sai. Preto Fica, de Adirley Queirós
 
Melhor curta-metragem – Crônicas de uma cidade inventada, de Luísa Caetano
 
Melhor direção – André Luiz Oliveira, por Zirig Dum Brasília – A Arte e o Sonho de Renato
 
Matos
 
Melhor ator – Marquim do Tropa, por Branco Sai. Preto Fica
 
Melhor atriz – Klarah Lobato, por Querido Capricórnio
 
Melhor roteiro – Fáuston da Silva, por Ácido Acético
 
Melhor fotografia – Dani Azul, por Meio Fio
 
Melhor montagem – Guille Martins, por Branco Sai. Preto Fica
 
Melhor direção de arte – Luiz Fernando Skopein, por À Mão Armada
 
Melhor edição de som – Guille Martins e Camila Machado, por Branco Sai. Preto Fica
 
Melhor captação de som direto – Francisco Craesmeyer, por Branco Sai. Preto Fica
 
Melhor trilha sonora – Renato Matos, por Zirig Dum Brasília – A Arte e o Sonho de Renato
 
Matos
 
Melhor longa-metragem pelo júri popular – Zirig Dum Brasília – A Arte e o Sonho de Renato
 
Matos, de André Luiz Oliveira
 
Melhor curta-metragem pelo júri popular – Ácido Acético, de Fáuston da Silva
 
PRÊMIO MARCO ANTÔNIO GUIMARÃES: Zirig Dum Brasília – A Arte e o Sonho de Renato Matos,
 
de André Luiz Oliveira
 
PRÊMIO CANAL BRASIL: Sem coração, de Nara Normande e Tião
 
PRÊMIO EXIBIÇÃO TV BRASIL: Branco sai. Preto fica, de Adirley Queirós
 
 
PRÊMIO ABRACCINE
 
Melhor filme de curta-metragem: Estátua!, de Gabriela Amaral Almeida
 
Melhor filme de longa-metragem: Branco sai. Preto fica, de Adirley Queirós
 
PRÊMIO SARUÊ: Branco sai. Preto fica, de Adirley Queirós
 
 
PRÊMIO VAGALUME
 
Melhor filme de curta-metragem: Crônicas de uma cidade inventada, de Luísa Caetano
 
Melhor filme de longa-metragem: Ventos de Agosto, de Gabriel Mascaro
 
PRÊMIO CONTERRÂNEOS: Zirig Dum Brasília – A Arte e o Sonho de Renato Matos, de André Luiz
 
Oliveira

Deixe seu comentário:

Imagem de segurança