Festival de Berlim 2014

Thriller chinês é duplamente premiado na Berlinale

Plínio Ribeiro Jr., de Berlim
Foi com grande surpresa que Berlim recebeu a divulgação dos filmes premiados nesta 64ª edição. Black coal, thin ice, filme chinês dirigido por Diao Yinan ganhou  o Urso de Ouro de melhor filme, mas não só. Numa edição marcada por muitos filmes protagonizados por homens, o júri presidido por James Schamus concedeu o Urso de Prata de melhor ator a Liao Fan, protagonista do mesmo, sublinhando a sensação de que este resultado ignorava filmes e interpretações masculinas que despontavam como favoritos.
 
Liao Fan é Zhang Zili, policial ferido durante uma perseguição a presumidos assassinos. Alguns anos depois, uma série de mortes misteriosas faz com que Zhang se lance por conta própria numa investigação em busca do responsável por elas. Os indícios apontam para Wu Zhizhen (Gwei Lun Mei), funcionária de uma tinturaria que tinha um envolvimento com todas as vítimas. Ao contactá-la, Zhang começa a sentir-se atraído por ela, dando um toque de romance a este thriller. A trama é ambientada no norte da China, longe dos centros urbanos. Em meio ao branco da neve que recobre as ruas, há o preto da usina de carvão onde foram descobertas partes dos corpos da primeira vítima, o que explica o título do filme (“Carvão negro, gelo fino” em português) .
 
Antes mesmo da premiação, já despertava curiosidade o fato de a seleção oficial contar com nada menos do que três filmes chineses Teria sido o charme de Tony Leung, um dos jurados, que levou o júri à sua decisão final ? Não somente. Não se pode esquecer que James Schamus, presidente do júri e portanto aquele que tem a palavra final, foi o produtor responsável no começo dos anos 90 por tornar conhecidos no ocidente uma série de diretores chineses até então desconhecidos, como Ang Lee (O Banquete de Casamento, 1993). No caso da 64ª Berlinale, a presença chinesa era reforçada também fora das telas. Afinal um dos quatro grande patrocinadores desta edição é uma marca chinesa de jóias.
 
Blind massage, do Lou Ye, aumentou para três o número de prêmios dados aos filmes chineses ao ter seu diretor artístico reconhecido com um Urso de Prata pela contribuição artística.
 
O grande prêmio do júri foi para o filme que fez a abertura do festival, The Grand Budapest Hotel, de Wes Anderson, já o filme japonês The Little House, último filme da seleção apresentado, garantiu à jovem Haru Kuroki o Urso de Prata de melhor atriz.
 
Boyhood, um dos preferidos junto à crítica, permitiu que Richard Linklater arrebatasse o Urso de Prata de melhor diretor. Stations of the Cross, por sua vez, foi o único filme alemão premiado na cerimônia ocorrida no Berlinale Palast, com o Urso de Prata de melhor roteiro para Dietrich Brüggeman (diretor do filme) e Anna Brüggeman.
 
Encerrando a lista de premiados, o veterano Alain Resnais (Hiroshima meu amor) recebeu o prêmio Alfred Bauer por abrir novas perspectivas com seu filme Aimer, boire et chanter - também vencedor do prêmio da Fipresci como melhor longa da competição. O diretor, que não veio a Berlim,  encontra-se atualmente às voltas com seu próximo projeto.
 
Praia do Futuro, de Karim Aïnouz e único candidato brasileiro à corrida pelo Urso de Ouro, infelizmente saiu de mãos vazias numa edição que decidiu consagrar um cinema que foi alçado à condição de segundo mercado cinematográfico mundial.

Deixe seu comentário:

Imagem de segurança