MOSTRA INTERNACIONAL DE SÃO PAULO

Última chance para ver "O Iluminado"

Equipe Cineweb
Documentários, filmes latinos e a última sessão do clássico O Iluminado na ordem do dia. Confira os detalhes abaixo:
 
 O Iluminado
Todos já conhecemos as paredes e corredores do Overlook Hotel. Também se sabe que quem entrar no labirinto no jardim vai ter dificuldades para sair. Também é sabido que há uma despensa e uma câmara frigorífica com bastantes suprimentos. O local fica ilhado no alto inverno, cercado de neve por todos os lados, e os telefones param de funcionar. O único meio de comunicação é um rádio. 
Nada disso é novidade, muito menos seu final ou a cena icônica envolvendo Jack Nicholson, um machado, uma porta e uma Shelley Duval aterrorizada. Ainda assim, o filme causa terror – especialmente a cópia restaurada e ampliada que está sendo exibida na Mostra. As dezenas de teorias que surgiram nessas três décadas tentam dar conta de lacunas inexplicáveis – e que já renderam até um documentário, Quarto 237. Mas nada substitui a experiência de se ver essa adaptação da obra de Stephen King na tela grande e em alto e bom som. 
Na internet, há algum tempo, circula um trailer satírico de O Iluminado, que, usando cenas reais do filme, transforma-o numa comédia fofa. Isso é apenas mais uma prova de que o som é tão importante quanto a narrativa aqui para se criar um clima doentio prestes a explodir (“Here is Johnny” é a senha). Jack Nicholson nunca esteve tão maníaco, tão assustador e até eventualmente divertido – parece muito à vontade no papel. 
Obviamente, em sua essência, O Iluminado é uma história de fantasmas, em que a câmera é uma presença leve e espectral acompanhando os personagens. É como se tudo fosse visto do ponto de vista dos seres invisíveis que habitam o hotel. Kubrick dizia que achava histórias de fantasmas otimistas, pois sugerem uma vida pós-morte. Talvez fosse uma brincadeira do diretor, mas O iluminado é, no fundo, uma afirmação do poder materno, do maior amor do mundo. E a versão exibida na Mostra faz a devida justiça ao filme. (Alysson Oliveira)
 
Indicação: 14 anos
CINEMARK - SHOPPING CIDADE JARDIM 6 - 22/10/2013 - 21:00 - Sessão: 421 (Terça)
 
 O militante
O cinema uruguaio, que conhecemos de obras esparsas, mas originais, como Whisky, de Pablo Stoll e Juan Pablo Rebella, ressurge em trabalho de outro jovem diretor, Manolo Nieto, que também trabalhou na assistência do filme de Stoll e Rebella e com o argentino Lisandro Alonso (Los Muertos), que aqui funciona como seu produtor.
Neste seu segundo longa, com roteiro de sua autoria, Manolo Nieto reconstitui o dilema de um jovem estudante (Felipe Dieste). No meio de uma greve estudantil, com ocupação da universidade em Montevidéu, ele recebe a notícia da morte de seu pai. Como resultado, deve ir ao interior, na cidade de Salto, onde o pai tinha uma casa e negócios.
Na verdade, o que o pai deixou foi uma série de dívidas. Seu patrimônio resume-se a uma fazenda arruinada, de onde tem que se vender todo o gado para saldar as dívidas, e uma pequena casa na cidade, onde a amante do pai já se instalou. Sem conseguir muito bem identificar a veracidade das informações que recebe, o jovem deve tomar decisões, assinar papeis e decidir como sua própria vida segue em frente. (Neusa Barbosa)
 
Indicação: 16 anos
ESPAÇO ITAÚ DE CINEMA - FREI CANECA 1   22/10/2013 - 18:40 - Sessão: 349 (Terça)
CINE SABESP                             25/10/2013 - 14:00 - Sessão: 644 (Sexta)
ESPAÇO ITAÚ DE CINEMA - FREI CANECA 3   30/10/2013 - 16:45 - Sessão: 1087 (Quarta)
 
 Double Play: James Benning e Richard Linklater
Nascido em São Paulo, mas estabelecido nos EUA, o diretor Gabe Klinger coloca frente a frente dois cineastas e amigos, o experimental e pouco famoso James Benning e o conhecido Richard Linklater (Antes do Amanhecer, Antes do Pôr-do-Sol e Antes da Meia-Noite).
Investido de seu conhecimento do cinema (é professor e pesquisador), Klinger coloca os dois amigos frente a frente, evidenciando a relação de mestre e discípulo que iniciou o relacionamento entre os dois anos atrás e criando um ambiente para que ambos conversem sobre suas próprias ideias sobre a arte em que exercem, cada um a seu modo, uma forma de independência.
Para quem conhece apenas Linklater, é uma boa oportunidade de encontrar seu mestre, que muito o influenciou. E encontrar Linklater muito à vontade, batendo papo com este divertido Benning, de quem felizmente se mostram trechos de seus trabalhos, bastante originais e distintos do mainstream de Hollywood. (Neusa Barbosa)
 
Indicação: Livre.
CINE LIVRARIA CULTURA 1                 22/10/2013 - 15:50 - Sessão: 381 (Terça)
CCSP - SALA PAULO EMILIO                23/10/2013 - 17:00 - Sessão: 510 (Quarta)
ESPAÇO ITAÚ DE CINEMA - FREI CANECA 3   24/10/2013 - 16:00 - Sessão: 536 (Quinta)
ESPAÇO ITAÚ DE CINEMA - FREI CANECA 1   27/10/2013 - 22:30 - Sessão: 824 (Domingo)
ESPAÇO ITAÚ DE CINEMA - FREI CANECA 4   30/10/2013 - 21:50 - Sessão: 1094 (Quarta)
 
 Outro Sertão
O cuidado documentário das diretoras Adriana Jacobsen e Soraia Vilela, cuja produção levou cerca de 10 anos, aprofunda as revelações sobre uma faceta mais engajada e altruísta do renomado escritor mineiro João Guimarães Rosa. Durante o breve período em que foi cônsul-adjunto em Hamburgo, entre os anos 1938 e 1942, Rosa e sua mulher, Aracy Moebius de Carvalho, funcionária do consulado, emitiram diversos vistos e passaportes que permitiram a fuga de algumas dezenas de judeus, que assim escaparam da perseguição nazista vindo para o Brasil.
No documentário, são entrevistados alguns desses imigrantes salvos por Rosa e Aracy, além de historiadores e amigos do tempo de Hamburgo. O ponto alto, no entanto, está nas preciosas imagens do escritor, numa até agora inédita entrevista televisiva na Alemanha, discorrendo sobre sua atividade literária, e sobre livros como Grande Sertão:Veredas, Sagarana e Primeiras Histórias. Outra preciosidade resgatada em arquivos é a gravação de Luar do Sertão, em português, por ninguém menos do que Marlene Dietrich, que embala as primeiras imagens do documentário. (Neusa Barbosa)
 
Indicação: livre
ESPAÇO ITAÚ DE CINEMA - FREI CANECA 3   22/10/2013 - 20:10 - Sessão: 359 (Terça)
ESPAÇO ITAÚ DE CINEMA - FREI CANECA 4   24/10/2013 - 17:40 - Sessão: 542 (Quinta)
 
 A Fuller Life
Cineasta, jornalista, escritor, uma das expressões máximas do termo “diretor independente” numa Hollywood muito diferente da atual, Samuel Fuller (1912-1997) foi um homem que, acima de tudo, sabia contar bem suas histórias, fosse na tela, fosse no papel. Ele ainda era menor de idade quando se iniciou como repórter policial, uma experiência que forjou um olhar sutil para os paradoxos da vida.
Ele teve uma vida, aliás, rara, que incluiu uma passagem por vários dos campos de batalha da II Guerra Mundial, em que, por escolha própria, ele preferiu ser soldado da infantaria do que no departamento de propaganda a que fora destinado. Essa existência intensa ele mesmo contou numa saborosa autobiografia, A Third Face – My Tale of Writing, Fighting and Filmmaking, cujo texto oferece a sua filha, Samantha Fuller, um prato cheio para compor a espinha dorsal do documentário A Fuller Life.
Desfilam pela tela atores que trabalharam nos filmes de Fuller, caso de David Carradine e Mark Hamill, intérpretes de Agonia e Glória (80), diretores como William Friedkin, Wim Wenders, Joe Dante e Monte Hellman, e vários outros amigos e admiradores do cineasta, lendo trechos de sua autobiografia. O texto de Fuller é tão bom que flui na tela, numa bela homenagem. Melhor ainda, saia do cinema e encomende correndo o livro, é imperdível. (Neusa Barbosa)
Indicação: 14 anos.
ESPAÇO ITAÚ DE CINEMA - FREI CANECA 1   22/10/2013 - 14:40 - Sessão: 347 (Terça)
Confira também a entrevista da diretora Samantha Fuller
 
 Nada de mau pode acontecer
Baseado em uma história verídica ocorrida em Hamburgo, Alemanha, Nada de Mau pode Acontecer é um pungente relato de fé e violência. Escrito e dirigido pela alemã Katrin Gebbe, o filme mostra o sofrimento vivido pelo jovem Tero (Julius Feldmeier), integrante da corrente cristão The Jesus Freaks, grupo que prega uma vida coletiva de adoração e contemplação.
Logo após o seu batismo, Tero acaba consertando o carro da família de Benno (Sascha Alexander Gersak) supostamente com o poder da fé, conquistando sua amizade. Como não tem casa fixa, aceita passar um tempo com seus novos amigos, em uma barraca no quintal.
Não passa muito tempo até ele perceber as falhas graves no caráter desta nova família. Impotente por sua fé na crença na justiça divina, não consegue impedir os abusos de Benno a sua enteada, tal como a si próprio: é feito de empregado, passa fome, é espancado, humilhado e até prostituído pelo dono da casa.
Participante da Competição Novos Diretores da Mostra internacional de Cinema de São Paulo, esta produção vai ao limite ao mostrar a aterradora violência física e mental sofrida pelo personagem. Bem-executado e interpretado, em especial por Feldmeier, pode parecer incômodo, mas imperdível. (Rodrigo Zavala)

Indicação: 18 anos
 
Dia 22/10
13:00 - ESPACO ITAÚ DE CINEMA - FREI CANECA 2
Dia 23/10
17:50 - ESPACO ITAÚ DE CINEMA - AUGUSTA 1
Dia 25/10
23:20 - ESPACO ITAÚ DE CINEMA - FREI CANECA 3
 
Outros detalhes no site da Mostra

Deixe seu comentário:

Imagem de segurança