Festival de Veneza 2009

Em Veneza, Sylvester Stallone fala de Pelé e de filmar “Os Mercenários” no Brasil

Neusa Barbosa

 

Veneza - Em Veneza para receber o Prêmio Jaeger-Le Coultry Glória ao Cineasta, o ator e diretor norte-americano Sylvester Stallone fez duas menções ao Brasil, durante entrevista coletiva, realizada no início desta tarde de sábado (12).

Indagado sobre como fora realizar no Brasil parte das filmagens de Os Mercenários, que tem estreia prevista para 2010, Stallone só teve elogios. “Temos imagens incríveis feitas lá. As florestas são maravilhosas, as pessoas, cooperativas. Não tenho nada além de coisas boas a dizer”. No elenco do filme, dirigido e interpretado por Stallone, estão Arnold Schwarzenegger, Bruce Willis, Dolph Lundgreen, Jet Li e a atriz brasileira (nascida no México) Giselle Itié (de O Mistério da Estrada de Sintra).

Outro comentário sobre o País ocorreu quando lhe perguntaram se gostava de futebol. O ator e diretor respondeu que, anos atrás, “não sabia o que era e achava que era um jogo muito simples”. Mudou inteiramente de opinião quando foi atuar em Fuga para a Vitória (81), de John Huston. No filme, Stallone interpretava um goleiro, num jogo de prisioneiros contra outro time do exército alemão, durante a II Guerra Mundial. O ator foi defender um pênalti de Pelé, que fazia parte do elenco, e quebrou um dedo. “Sou muito ruim”, admitiu.

Sobre o prêmio que veio receber durante o Festival de Veneza e que foi anteriormente atribuído ao japonês Takeshi Kitano (a cujo filme Glória ao Cineasta, de 2007, deve-se o nome do troféu), à belga Agnès Varda e ao iraniano Abbas Kiarostami, o ator e diretor destacou estar “lisonjeado, porque este troféu tem a ver com direção”. “Nunca esperei ver meu nome associado a roteiro e direção. Eu devia ter me dedicado mais a isto antes, só estou fazendo isso agora”.

Sobre o Rambo -Versão do Diretor que terá sua première mundial hoje à noite em Veneza, Stallone antecipou que os 12 minutos adicionados à versão tradicional permitem que o personagem “se explique mais”.

Cheio de planos, o ator e diretor anunciou o preparo de inúmeros novos projetos – caso de um filme sobre o poeta e escritor Edgar Allan Poe (1809-1849) e o remake de Desejo de Matar, originalmente protagonizado por Charles Bronson. O ator morreu em 2003.


Deixe seu comentário:

Imagem de segurança