"O Céu sobre os Ombros" vence Festival de Brasília

Reichenbach quer Barbara Hendricks em seu novo filme

Neusa Barbosa

Reichenbach quer Barbara Hendricks em seu novo filme
Homenageado na abertura do 43º Festival de Cinema de Brasília, nesta terça (23), em que a atração foi a cópia restaurada de seu filme Lilian M. – Relatório Confidencial (1974), o diretor gaúcho-paulista Carlos Reichenbach anunciou seu próximo projeto, que já está começando a decolar: O Anjo Desarticulado, em que ele enfrenta, pela primeira vez em sua carreira, a questão mística.
 
Explicando, na coletiva de imprensa desta manhã, o espírito da história, que ele vem desenvolvendo há dez anos, Carlão definiu: “Quero fazer um filme sobre o êxtase”. Nada a ver com a onda espírita que vem dominando o cinema brasileiro este ano, como ele faz questão de assinalar. “Não quero fazer um filme protestante, nem católico, nem espírita. É o encontro de Fausto com Deus”, resume.
 
Para quem quiser procurar pistas do que será este novo longa, elas podem ser procuradas no curta Equilíbrio e graça(2002), em que o cineasta retratou o encontro entre um monge católico e o pai do zen-budismo. O curta, segundo Carlão, “é um esboço” do que O Anjo Articulado deverá ser.
 
Um dos vencedores do Prêmio Estímulo do Ministério da Cultura para o desenvolvimento de projetos, O Anjo Desarticulado deve ser filmado em cinco cidades do oeste paulista, dentre elas, Dois Córregos, Torrinha, Brotas e Bocaina. É na capela de Bocaina, aliás, que Carlão sonha com uma das grandes cenas deste seu futuro filme – ele quer que a soprano norte-americana Barbara Hendricks (vista em filmes como Aproximação, de Amos Gitai) cante nessa capela. Um sonho que a produtora Sara Silveira promete empenhar-se para realizar.
 
Ainda não há previsão de início das filmagens, uma vez que ainda deverá ocorrer captação de orçamento (cujo valor ainda não foi estimado). O primeiro passo, segundo Carlão, será justamente, rever as locações.
 
Incansável apesar de recentes abalos de saúde – depois de superar problemas cardíacos, o cineasta ainda vai encarar em breve uma operação na vista -, Carlão diz: “Se eu pudesse, faria um filme a cada cinco meses. Idéias não me faltam”. Um dos sonhos que ele acalanta é um filme de horror. “Mas há muitas outras ousadias que eu gostaria de experimentar”.

Deixe seu comentrio:

Imagem de segurana