Letras e fotogramas

Longas jornadas noites adentro

Por Alysson Oliveira em 25/09/2017
Addie Moore faz uma proposta inesperada ao seu vizinho, Louis Waters, e depois de muito hesitar, faz uma proposta: “Eu gostaria de saber se você consideraria vir à minha casa às vezes para dormir comigo. [...] Quero dizer somos os dois solitários. Estamos sozinhos por muito tempo. Por muitos anos. Estou solitária. Gostaria de saber se você viria e passaria a noite comigo. E conversássemos”. Ela, do alto de muitas décadas de vida e viúva, faz essa proposta a ele, que está nas mesmas condições.
 
Assim começa OUR SOULS AT NIGHT (no Brasil, NOSSAS NOITES, lançado pela Cia das Letras, com tradução de Sonia Moreira), romance postumamente publicado que Kent Haruf escreveu pouco antes de morrer, aos 71 anos, em 2014, por isso não é de se duvidar que as ansiedades e aflições de seus personagens são as mesmas que ele enfrentava com a idade.
 
Seu romance é delicado e preciso em sua percepção de uma sociedade na qual as expectativas de vida é cada vez mais alta, mas que essa mesma sociedade não sabe muito bem o que fazer a uma parcela da população que atinge certa idade. É como se esperassem que vivessem sob algum código do passado, da época de sua criação e juventude, negando-lhe alguns dos direitos que os mais jovens têm.
 
O relacionamento de Addie e Louis, a princípio, pelo menos, não tem nada de romântico. É praticamente um arranjo prático, mas que escandaliza a pequena cidade onde moram no Colorado. Logo a história chega aos ouvidos do filho dela, e se transforma num conflito. É quando o mundo real irrompe e atrapalha o idílio entre o casal de protagonistas.
Com uma prosa, ao mesmo tempo, direta mas também poética, Haruf dá conta de laços que unem seus personagens de forma terna, mas também transgressora. Não se espera que eles reencontrem o amor – ou algo parecido – a essa altura de suas vidas, mas eles infringem esses limites, e encontram consolo um no outro.
 
Recentemente, a obra foi adaptada para o cinema, com Jane Fonda e Robert Redford nos papeis centrais, com direção de Ritesh Batra (The Lunchbox), previsto para estrear no Netflix na próxima sexta-feira.

Deixe seu comentário:

Imagem de segurança