Letras e fotogramas

Um grande romance sobre a questao racial nos EUA

Por Alysson Oliveira em 23/05/2017

Thug Life
 
 
 
A letra “U” (ao invés de you) no meio do título do romance THE HATE U GIVE não é gratuita, e como mostra a capa, remete ao movimento e à expressão criada por Tupac Shakur, Thug Life, The hate you give lil infants f**k everyone – uma ideia que está presente em todo o romance de estreia de Angie Thomas, inspirado também pelo movimento Black Lives Matter. Classificado como Young Adults (para jovens), esse é um livro que precisa ler lido com urgência por pessoas de todas as idades.
 
Sensibilizada com o assassinato de Oscar Grant III – retratado no filme Fruitvale Station – em 2009, Angie escreveu um conto para um curso de escrita criativa, mas acabou expandindo-o num romance. A protagonista é a adolescente Starr, testemunha do assassinato de um amigo pela polícia.
 
Starr vive entre dois mundos. Mora num bairro dominado pelo tráfico e violência, mas estuda numa escola particular, onde é uma das poucas alunas afroamericanas (com seus dois irmãos). E ela mantém esses dois mundos bem separados – ela mesma se vê como duas pessoas que agem de forma diferente em cada um deles. O crime, no entanto, acaba com essa ordem.
 
A sendo a única testemunha – ela estava no carro, ao lado do rapaz, quando o ele foi morto – ela se torna a figura central, um tanto a contragosto (também porque tem receio de falar contra a polícia), de um movimento pela justiça. Seu dilema é: se proteger, e deixar ou assassino do seu amigo impune, ou pegar um megafone, gritar a verdade correndo risco de vida, e, ainda assim, sabendo que continua havendo chances do policial continuar impune.
 
Angie Thomas escreve com verve e fúria, e cria uma história incendiária em total sintonia com o presente – não apenas dos EUA, mas, praticamente, de todos os países onde a questão racial é urgente. Sua Starr é repleta de nuances, uma garota comum no meio de uma situação incomum, e que a resolução depende de sua coragem.
 
A opção por uma narrativa em 1a pessoa nos leva ao coração de Starr divido – entre o fim do equilíbrio de seus dois mundos e a necessidade de depor para a polícia, de participar de um julgamento, e de, finalmente, não deixar que o assassinato do seu amigo passe impune. Angie escreve com a segurança de um veterano, e a coragem de quem sabe estar lidando com um assunto tão importante e necessário, mas que não precisa subir num palanque ou distribuir panfletos. Seu manifesto está em seus personagens, em sua narrativa, em seu romance. O que só se potencializa quando se pensa que seu público-alvo são os adultos de amanha. The Hate U Give tem o poder de ser uma das sementes que construirão um mundo melhor.

Deixe seu comentário:

Imagem de segurança