Letras e fotogramas

“Sob o Sol de Satã”: Tudo de novo sob o sol

Por Alysson Oliveira em 17/01/2011
O romancista francês Georges Bernanos (1888-1948) é mais conhecido pelas adaptações literárias de suas obras. “Diário de um Pároco de Aldeia” (1951) e “Mouchette, A Virgem Possuída” (1967) – ambos de Robert Bresson – e “Sob o Sol de Satã” (1987), de Maurice Piallat, que rendeu à França uma das Palmas de Ouro mais polêmicas do Festival de Cannes. Longe das livrarias brasileiras e raros nos sebos, os livros do escritor, que morou em Barbacena (MG), ganham novas edições publicadas pela É Realizações, que pretende relançar toda a obra.
 
O primeiro da lista é o romance de estreia de Bernanos, “Sob o Sol de Satã” (É Realizações, 320 p, tradução Jorge de Lima, R$53), publicado em 1926. Escritor católico, ele nunca fez de sua obra panfleto de conversão religiosa, nem tampouco transformou personagens em figuras míticas (ou até místicas). Logo em seu primeiro livro acontece um embate entre um padre e o diabo.
 
Um padre de uma pequena aldeia duvida de sua vocação religiosa e enquanto anda por uma estrada encontra o próprio Satã. Donissan é o protagonista, um padre querido na sua região, mas que no fundo é uma figura atormentada – a primeira da coleção de Bernanos de personagens consumidos por conflitos internos.
 
Já no prólogo de “Sob o Sol de Satã” conhecemos Mouchette – que mais tarde será tema de outro livro. Jovem adolescente do campo que engravida de um marquês, acaba o matando e seduzindo um médico para que ele lhe faça um aborto. O corpo, tanto dessa personagem quanto de Donissan, passa por provações. Ele é adepto de práticas condenadas até por seus superiores. Acredita que, talvez, pelo sofrimento da carne possa estar mais perto do Paraíso. Donissan ganha status de um santo vivo na sua aldeia, e, graças a algumas de suas ações, essa posição só tende a ganhar força.
 
Os temas que serão caros à obra de Bernanos começam a ganhar contorno nesse “Sob o Sol de Satã”. O conflito espiritual entre o bem e o mal – o divino e o mundano – são capazes de guia o destino dos homens. Quando os caminhos de Donissan e Mouchette se cruzam, é que o escritor traz para suas páginas um grande embate. Tão grande, que Piallat, em seu filme, parece não ter conseguido o captar muito bem.

Comente
Comentários:
  • 17/01/2011 - 16h03 - Por Ailcto Mendes Novaes Caríssimos,

    Gostaria de saber se além da reedição do romance de Bernanos pela É realizações, haverá uma edição no Brasil do filme que foi exibido no lançamento do livro...
  • 18/01/2011 - 14h06 - Por Alysson Prezado Ailcto,

    Infelizmente, até o momento ainda não tivemos nenhuma notícia de alguma empresa lançar o DVD no Brasil. Assim que soubermos de alguma novidade, avisaremos.

    Obrigado pelo comentário.
    Abraços
    alysson
  • 28/01/2011 - 21h46 - Por Antonio Nahud Júnior É um filme brilhante. Um dos melhores de Depardieu.
    Parabéns pelo post.
    Apareça no meu blog

    www.ofalcaomaltes.blogspot.com
  • 18/05/2011 - 20h36 - Por nilton resende alysson, tenho o livro (nas duas traduções publicadas aqui), mas ainda não li.
    paquero ele há muitos anos, porque a temática dele interessa demais. e também nunca vi o filme.
    aí, você pergunta: então, por que esse cara está comentando aqui?

    =0

    ah, comentando porque achei arretado haver uma postagem tratando do bernanos!

    =]

    abraço.
  • 09/02/2015 - 16h10 - Por André Gomes Quirino Georges Bernanos, autor de clássicos como %u201CSob o Sol de Satã%u201D (%u201CSous le Soleil de Satan%u201D), tem sido publicada no Brasil pela É Realizações Editora, e agora tem também sua passagem pelo país narrada ao público local. O estudo de Sébastien Lapaque %u201CSob o Sol do Exílio: Georges Bernanos no Brasil (1938-1945)%u201D acaba de ser publicado, trazendo à luz a visita de Bernanos a várias cidade do Rio de Janeiro e Minas Gerais, sua estadia no sítio Cruz das Almas, sua revolta contra a mediocridade dos intelectuais e a ascensão do totalitarismo, sua amizade com pensadores brasileiros e a visita que Stefan Zweig lhe fez à véspera de se suicidar.

    Matérias na Folha de S. Paulo a propósito do lançamento do livro: http://goo.gl/O8iFve e http://goo.gl/ymS4lL
    Para ler algumas páginas de %u201CSob o Sol do Exílio%u201D: http://goo.gl/6hAEOM

    Confira também:
    Diálogos das Carmelitas: http://goo.gl/Yy3ir3
    Joana, Relapsa e Santa: http://goo.gl/CAzTTk
    Um Sonho Ruim: http://goo.gl/Kd091z
    Diário de um Pároco de Aldeia: http://goo.gl/ISErLc
    Sob o Sol de Satã: http://goo.gl/qo18Uu
    Nova História de Mouchette: http://goo.gl/BjXsgm


    ANDRÉ GOMES QUIRINO
    mkt1@erealizacoes.com.br
    (11) 5572-5363 r. 230
Deixe seu comentário:

Imagem de segurança