Celulóide Digital

Tarantino cinquentão

Por Neusa Barbosa em 21/03/2013
Ele parece que nunca vai perder o ar de garoto. Ou a vontade de divertir. Quentin Tarantino faz 50 anos no próximo dia 27.
 
Desde a estreia retumbante, com o cult instantâneo Cães de Aluguel (1992), ele não sai de moda. Mesmo que nem sempre tenha ido tão bem quanto em Pulp Fiction – Tempo de Violência, perdendo tempo aqui e ali em brincadeirinhas sem graça do tipo o segmento de Grande Hotel, ele tem sabido se reinventar e manter intato seu instinto de provocador – não lhe escapam nenhum dos oprimidos do mundo, mulheres (Kill Bill, À Prova de Morte), judeus (Bastardos Inglórios), negros (Django Livre), todos invariavelmente fabricando uma impagável vingança.
 
O que será que vai inventar agora, ele que torce o nariz para o 3D e diz que, se não puder mais filmar em 35 mm, vai parar com tudo, casar e ter filhos?
 
Só pode estar de brincadeira.
 
Longa vida, Quentin!
 
Leia também:
Perfil - 50 tons de Tarantino